Publicidade

Estado de Minas

Janot denuncia Temer por organização criminosa e obstrução à Justiça


postado em 14/09/2017 18:52

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou nesta quinta-feira (14) duas novas denúncias ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o presidente Michel Temer, por liderar organização criminosa e tentativa de obstruir a Justiça, informou o Ministério Público Federal (MPF).

Entre os acusados estão outros seis importantes dirigentes do PMDB, partido de Temer: Eduardo Cunha, Henrique Alves, Geddel Vieira Lima, Rodrigo Loures, Eliseu Padilha e Moreira Franco. Estes últimos são, respectivamente ministro-chefe da Casa Civil e Secretário-Geral da Presidência.

Segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), os denunciados "praticaram ações ilícitas em troca de propina por meio da utilização de diversos órgãos públicos, como Petrobras, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados".

"O esquema desenvolvido permitiu que os denunciados recebessem pelo menos R$ 587 milhões de propina", detalhou a denúncia.

"Michel Temer é acusado de ter atuado como líder da organização criminosa desde maio de 2016", quando substituiu Dilma Rousseff na Presidência, após esta ser destituída pelo Congresso por manipulação de contas públicas nas chamadas pedaladas fiscais.

"O núcleo político da organização era composto também por integrantes do PP e do PT, que compunham subnúcleos políticos específicos", acrescentou o documento.

Mas "em maio de 2016, com a reformulação do núcleo político da organização criminosa, os integrantes do 'PMDB da Câmara', especialmente Michel Temer, passaram a ocupar papel de destaque que antes havia sido dos integrantes do PT", prosseguiu.

Janot, de 60 anos, vive os últimos dias de seu mandato. Na próxima segunda-feira, ele transmitirá o cargo à sua sucessora, Raquel Dodge.

Nas últimas semanas, multiplicaram-se os pedidos de denúncia, em um país que há mais de três anos vive no ritmo das revelações da operação 'Lava Jato', sobre um gigantesco esquema de corrupção envolvendo grandes empreiteiras, políticos e partidos em torno de obras da Petrobras.

Na semana passada, Janot acusou de associação criminosa Lula (2003-2010) e Dilma, assim como a cúpula do PT, o ex-presidente José Sarney (1985-90) e os principais dirigentes do PMDB.

Em junho, Janot já tinha denunciado Temer por "corrupção passiva", mas a Câmara dos Deputados recusou-se a encaminhar seu pedido ao Supremo, única instância habilitada a julgar o presidente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade