Publicidade

Estado de Minas

Suíça impede a venda de um documento roubado, assinado por Calvino


postado em 02/12/2016 09:55

O cantão de Genebra, na Suíça, impediu a venda prevista para a próxima semana em Nova York de um documento assinado por Calvino que havia sido roubado há mais de um século.

Trata-se de um recibo manuscrito assinado pelo teólogo e reformista francês João Calvino em 15 de dezembro de 1553 em Genebra como seu salário de ministro de Culto, informa o jornal 'Tribune de Genève'.

Avaliado entre 20.000 e 30.000 dólares, o recibo estava na coleção de quase 200 bíblias e documentos antigos reunidos por Charles Caldwell Ryrie, um teólogo americano, que deveria ser leiloado em 5 de dezembro em Nova York pela Sotheby's.

As autoridades cantonais solicitaram à casa de leilões que retirasse o lote da venda, à espera de poder recuperá-lo. A Sotheby's decidiu conservar o documento até esclarecer quem é o proprietário, segundo o jornal suíço.

O procedimento nos Estados Unidos pode ser longo e caro, já que o roubo aconteceu há mais de 100 anos.

As autoridades de Genebra afirmaram que preferem uma "negociação em bons termos" a uma "ação judicial".

O documento já havia sido vendido em 1982 e em 1987, sempre pela Sotheby's, mas nas ocasiões Genebra não soube da venda porque ainda não existia a internet.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade