Publicidade

Estado de Minas

EUA e União Europeia suspendem sanções ao Irã após acordo nuclear

Acordo garante o caráter civil do programa nuclear iraniano e torna quase impossível a construção de uma bomba atômica. O fim das sanções prevê a devolução de US$ 100 bilhões em ativos congelados no exterior


postado em 16/01/2016 19:31 / atualizado em 16/01/2016 19:58

Representante da política externa da União Europeia, Federica Mogherini, e o ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, durante o anúncio do cumprimento do acordo nuclear(foto: AFP / JOE KLAMAR )
Representante da política externa da União Europeia, Federica Mogherini, e o ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, durante o anúncio do cumprimento do acordo nuclear (foto: AFP / JOE KLAMAR )

Os Estados Unidos anunciaram neste sábado a suspensão das sanções impostas ao Irã - de acordo com declaração do secretário de Estado americano, John Kerry. "Venho por meio desta confirmar que a Agência Internacional de Energia Atômica verificou que o Irã implementou, completamente, os compromissos exigidos (...) Os compromissos dos Estados Unidos referentes às sanções estão agora em vigor", disse Kerry.

A União Europeia (UE) também decidiu, na noite deste sábado, suspender as sanções econômicas e financeiras do bloco ao Irã, logo após o sinal verde dado pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) para a implementação do acordo nuclear. A AIEA destacou que o Teerã manteve seus compromissos em troca da suspensão de sanções internacionais.

"O Irã completou as etapas reparadoras necessárias para a instalação do acordo" concluído em 14 de julho de 2015, declarou o secretário-geral dessa agência da ONU, Yukiya Amano, em uma nota divulgada em Viena.

O acordo garante o caráter civil do programa nuclear iraniano e torna quase impossível a construção de uma bomba atômica. Sua assinatura firmada em julho de 2015 pôs fim a mais de uma década de isolamento diplomático do Irã, cuja economia foi duramente afetada pelas sanções ocidentais.

Concentradas em setores-chave, como defesa, petróleo e finanças, as sanções europeias significaram a adoção de uma lista negra com 92 iranianos e 466 empresas, ou grupos, que tiveram seus bens congelados, além de estarem proibidos de obter visto para entrar no bloco. O fim das sanções prevê a devolução de US$ 100 bilhões em ativos congelados no exterior.

O comunicado foi divulgado no mesmo dia que o Irã libertou quatro prisioneiros norte-americanos, entre os quais o jornalista Jason Rezaian, em troca de sete presos iranianos. Adotada pelos 28 Estados-membros, a decisão ainda precisa ser publicada no Diário Oficial da UE para entrar em vigor.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade