Publicidade

Estado de Minas

Doping: IAAF diz que Rússia reconhece necessidade de reformas


postado em 12/01/2016 17:01

Na Rússia para fiscalizar os esforços realizados no país para melhorar seu sistema de luta antidoping, a comissão de inspeção da Federação Internacional de Atletismo (IAAF) garantiu nesta terça-feira que o Comitê olímpico Russo reconhece os problemas e a necessidade de reformas.

"Ressaltamos a necessidade de reconhecer os problemas atuais e a vontade de promover mudanças reais e duradouras no atletismo russo", declarou a presidente desta comissão, Rune Andersen, citada num comunicado divulgado pela IAAF.

Andersen disse que essas necessidades foram "reconhecidas" pelo comitê de coordenação interino nomeado pelo Comitê Olímpico russo para dialogar com a IAAF.

Na segunda-feira, a comissão de inspeção já tinha exaltado "conversas francas e abertas" com os interlocutores russos.

A Federação russa de Atletismo (ARAF) elege seu novo presidente no sábado, sendo que o último, Valentin Balakhnichev, foi banido para sempre do esporte pela comissão de ética da IAAF.

No início de novembro, uma comissão de investigação independente da Agência Mundial Antidoping (Wada) publicou um relatório bombástico que evidenciou um esquema de doping organizado no atletismo russo, com dirigentes da IAAF acusados de acobertar alguns casos.

Seguindo as recomendações desta comissão da Wada, a IAAF suspendeu a Rússia de todas as competições, colocando em risco a participação do país às provas de atletismo dos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

Para reverter o quadro, a Rússia precisa fazer esforços significativos no âmbito da luta antidoping, sob a fiscalização da comissão da IAAF.

Na próxima quinta-feira, a comissão de investigação da Wada divulgará a segunda parte do relatório, que promete outras revelações estarrecedoras.

"Quando publicarmos estas informações, haverá um sentimento de incredibilidade. Acho que as pessoas irão se perguntar como isso foi possível. É uma traição completa ao que as pessoas que estão encarregadas do esporte deveriam fazer", alertou Richard Pound, presidente da comissão.


Publicidade