Publicidade

Estado de Minas

Exército sudanês culpado de estupros em Darfur


postado em 11/02/2015 15:25

Soldados sudaneses estupraram mais de 200 mulheres em outubro de 2014 na localidade de Tabit, no norte da província sudanesa de Darfur, afirma a organização humanitária Human Rights Watch, em um relatório publicado nesta quarta-feira.

A HRW entrevistou por telefone entre novembro e dezembro cerca de cinquenta habitantes e ex-habitantes de Tabit, e confirmou 27 casos de violação e obteve "informações críveis de outros 194 casos".

De acordo com o relatório, essas violações foram cometidas durante um "ataque organizado" que durou 36 horas, a partir de 30 de outubro, em que soldados iam de casa em casa. Algumas das vítimas tinham menos de 15 anos.

Dois desertores do exército sudanês disseram aos investigadores da HRW que seus superiores lhe deram ordens "para estuprar todas as mulheres".

Para a HRW, estas violações "poderiam constituir crimes contra a humanidade, se for comprovado que o ataque teve caráter sistemático e de grande amplitude contra a população civil."

A organização apela ao Tribunal Penal Internacional, que tem em suas mãos o caso Darfur desde 2005, que investigue o caso e exorta o Conselho de Segurança da ONU e da União Africana a pressionar Cartum.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade