Publicidade

Estado de Minas

Padres são indiciados por pedofilia na Espanha

Papa Francisco incentivou uma das vítimas a denunciar os culpados


postado em 28/01/2015 15:37 / atualizado em 28/01/2015 15:48

Um juiz espanhol indiciou dez religiosos por um suposto caso de pedofilia no qual o papa Francisco se envolveu pessoalmente depois de ser alertado por uma das supostas vítimas.

O escândalo explodiu em novembro depois que a vítima, agora com 25 anos, informou sobre os abusos sexuais que sofreu quando era menor de idade em Granada, sudeste da Espanha, em uma carta dirigida ao pontífice.

Francisco incentivou a vítima a denunciar os culpados judicialmente.

Segundo o auto judicial, com data de segunda-feira, há 12 acusados, dez padres e dois laicos, imputados como autores ou cúmplices dos supostos abusos cometidos contra o homem entre 2004 e 2007, quando tinha entre 14 e 17 anos, em um chalé em Granada.

A vítima era membro da Opus Dei e foi seduzido pelo padre da paróquia que frequentava como participante do coro.

Francisco expressou em 25 de novembro sua "enorme dor" depois de ter conhecimento deste caso através da carta da vítima, que disse temer que outros menores estivessem envolvidos.

Desde sua eleição em março de 2013, o papa Francisco defende a tolerância zero contra a pedofilia, que pode ter produzido milhares de vítimas no mundo todo, atingindo em cheio a credibilidade da Igreja católica.


Publicidade