Publicidade

Estado de Minas

Venezuela processa militares por conspiração

Capitão da guarda nacional fica recluso por ter trazido notícias de familiar dos EUA. De acordo com jornal, cerca de 30 oficiais estão sob investigação.


postado em 14/04/2014 18:01 / atualizado em 14/04/2014 18:20

Milícias armadas fazem homenagens ao finado ex-presidente Hugo Chávez em comemoração à volta de Chávez ao poder após golpe fracassado, 12 anos atrás(foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters)
Milícias armadas fazem homenagens ao finado ex-presidente Hugo Chávez em comemoração à volta de Chávez ao poder após golpe fracassado, 12 anos atrás (foto: Carlos Garcia Rawlins/Reuters)

As autoridades militares da Venezuela abriram processos judiciais a pelo menos dois oficiais da Guarda Nacional por sua suposta relação com uma conspiração contra o presidente Nicolás Maduro informou nesta segunda-feira o advogado de um dos processados.

As ações judiciais afetam ao capitão da Guarda Nacional Juan Caguaripano e o capitão aposentado Juan Carlos Nieto Quintero indicou Alonso Medina Roa, advogado desse último.

Nieto Quintero foi preso no começo deste mês por membros da Direção Geral de Contra Inteligência Militar e permanece recluso na sede da Polícia Militar do Fuerte Tiuna, a oeste de Caracas. Ele é acusado de "instigação à rebelião" por supostamente trazer dos Estados Unidos uma mensagem do seu irmão, o também capitão aposentado Javier Nieto Quintero, para outros oficiais, disse Medina, assinalando que o militar foi vítima de tortura na prisão.

O diário local Últimas Notícias informou nesta segunda-feira que, segundo pessoas próximas ao governo, haveria ao menos 30 oficiais de diversos escalões sob investigação por suposta conspiração contra Maduro. Até agora, as autoridades não deram mais informações a respeito dessas detenções.


Publicidade