UAI
Publicidade

Estado de Minas

Maconha liberada em dois estados dos EUA

Washington e Colorado autorizam abertura de locais que podem vender a erva e subprodutos para maiores de 21 anos


postado em 02/01/2014 07:00 / atualizado em 02/01/2014 08:45

Funcionária de loja mostra balas com maconha, vendidas na recém inaugurada loja Botana Care, no Colorado(foto: REUTERS/Rick Wilking )
Funcionária de loja mostra balas com maconha, vendidas na recém inaugurada loja Botana Care, no Colorado (foto: REUTERS/Rick Wilking )

Los Angeles – Os usuários de maconha nos Estados Unidos poderão consumir o produto legalmente em dois estados do Oeste do país, Colorado, e Washington. Uma lei aprovada em novembro prevê a abertura dos primeiros coffee shops, onde os consumidores poderão comprar até 28 gramas de maconha a cada vez de forma legal, desde que tenham pelo menos 21 anos.

A lei – já válida para o Colorado e que entrará em vigor em seis meses em Washington – é uma novidade no continente americano, onde até há pouco tempo imperava uma combinação de proibição e repressão aos consumidores, além de um combate armado aos produtores e traficantes, sobretudo nas Américas Central e do Sul.

A decisão é similar à tomada pelo presidente do Uruguai, José Mujica, que legalizou o uso da erva no país por maiores de 18 anos, em vigor desde 24 de dezembro. No Uruguai, o novo marco legal permite cultivo da maconha para uso pessoal, em clubes de consumo ou comprar em farmácias, em quantidades moderadas.

Nos Estados Unidos, em maio, a Organização dos Estados Americanos (OEA) divulgou um documento no qual incentiva a análise de uma eventual legalização da maconha como forma de luta contra o narcotráfico. Na América do Norte, o México, que trava uma batalha violenta contra o narcotráfico, também estuda a possibilidade, enquanto o Canadá, até agora muito repressivo, flexibilizou sua política e considera aplicar uma simples multa aos consumidores de maconha, em vez de um processo.

Nos EUA, pesquisa recente mostrou que menos de 40% dos alunos que cursam o último ano do ensino médio consideram a maconha perigosa, contra 44% um ano antes. No total, 23% admitiram ter fumado maconha no mês anterior à pesquisa, número que sobe a 36% quando considerados os últimos 12 meses.
 
Novo caminho
Aqueles que plantam maconha comemoram a medida e desejam mostra o caminho para outros estados, enquanto as autoridades aguardam a arrecadação de impostos com a nova atividade comercial. “A novidade em si basta para atrair pessoas de todas as partes”, afirma Adam Raleigh, diretor da empresa produtora de maconha Telluride Bud Company, do Colorado. “Sei de pessoas que virão de carro do Texas, Arizona e Utah. Nos últimos meses, recebi todos os dias entre quatro e seis e-mails, entre cinco e 10 ligações telefônicas de pessoas que pedem detalhes sobre a lei e sobre a melhor data para organizar viagens que combinem esqui e maconha”, contou Raleigh à Agência France-Presse.

O consumo de maconha com fins terapêuticos já é legal e está regulamentado em 19 estados norte-americanos. E na maioria deles o consumo com fins recreativos não é considerado um delito. Mas Colorado e Washington deram um passo adiante com a implementação de um sistema no qual as autoridades locais supervisionarão o cultivo, a distribuição e o marketing da maconha, dando ao Oeste americano um ar de Holanda com seus coffee shops.
 
O mercado é gigantesco: segundo a empresa ArcView Market Research, as vendas legais de maconha aumentarão 64% entre 2013 e 2014, passando de US$ 1,4 bilhão para US$ 2,34 bilhões. No Colorado, as autoridades concederam licenças a 348 lojas, enquanto o estado de Washington recebeu 3.746 pedidos de licença, sendo 867 para lojas, segundo o jornal Seattle Times.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade