Publicidade

Estado de Minas

Inglês que matou suposto pedófilo é condenado à prisão perpétua


postado em 28/11/2013 16:31 / atualizado em 28/11/2013 18:14

Um homem de 24 anos foi condenado à prisão perpétua nesta quinta-feira por um tribunal britânico pelo assassinato de um iraniano portador de necessidades especiais que havia sido acusado de pedofilia pelos vizinhos.


Lee James espancou Bijan Ebrahimi até a morte, chutando o rosto da vítima como se desse chutes "numa bola de futebol", segundo ele, no último 14 de julho em Brislington, arredores da cidade inglesa de Bristol.


Em seguida, James e um amigo atearam fogo ao cadáver. O comparsa pegou quatro anos de prisão.


"Eu estava com muito ódio", explicou James à polícia após ter matado um homem que. O iraniano tornou-se o alvo de seus vizinhos desde sua chegada ao Reino Unido.


Constantemente assediado e zombado, Ebrahimi se sentia tão perseguido que fotografava e filmava seus vizinhos para juntar provas de comportamento hostil - informou o juiz Peregrine Simon, do tribunal de Bristol.


Três dias antes de ser espancado, ele havia sido preso pela polícia após uma queixa de diversos vizinhos que o acusavam de filmar seus filhos. Não tendo encontrado nada de suspeito em sua câmera, nem em seu computador, os policiais o libertaram rapidamente.


Mas os vizinhos, alguns deles "encorajados pelo consumo de álcool", continuavam acreditando que tinham um pedófilo entre eles, mesmo que "nada justificasse tal afirmação", insistiu o juiz.


Até o momento em que Lee James, pai de três crianças pequenas e um histórico de violência conjugal, decidiu "fazer justiça com suas próprias mãos".


Sua condenação foi comemorada pela família de Ebrahimi, que no entanto continua questionando o papel da polícia, acionada diversas vezes pela vítima nas 48 horas que antecederam o crime.


Publicidade