Publicidade

Estado de Minas

Dois massagistas acusam John Travolta de abuso sexual


postado em 09/05/2012 07:36

Um dos massagistas afirmou que respondeu a Travolta que não fazia sexo com seus clientes. Supostamente, o ator o qualificou então como
Um dos massagistas afirmou que respondeu a Travolta que não fazia sexo com seus clientes. Supostamente, o ator o qualificou então como "perdedor", pagou o dobro do acordado e foi embora (foto: AFP PHOTO/Claudio SANTANA)


John Travolta teve de se defender das acusações de dois massagistas em Los Angeles que supostamente foram abusados sexualmente pelo ator em duas ocasiões diferentes, afirmação que o advogado da estrela de Pulp Fiction disse ser "absurda e ridícula".

Depois de que nessa segunda-feira um massagista acusou Travolta de abuso sexual durante uma sessão de massagens e exigiu indenização de 2 milhões de dólares, um segundo massagista pediu nessa terça-feira outro montante sob igual argumento e através do mesmo advogado.

Nenhum dos dois massagistas identificou-se e os dois são mencionados nos documentos judiciais como "John Doe 1" e "John Doe 2". "Esta segunda acusação 'anônima' é tão absurda e ridícula como a primeira", disse em um comunicado Martin Singer, advogado do ator e bailarino que foi um ícone jovem nos anos '70 e '80 após os sucessos de "Grease" e "Nos Embalos de Sábado à Noite".

Segundo Singer, o advogado das partes acusadoras inventou a segunda demanda depois que foi evidenciado que a primeira acusação não tinha sustentação, já que Travolta estava em Atlanta (Georgia, sudeste) trabalhando em um filme quando supostamente o abuso ocorreu. "O advogado que levantou a ação por parte de seu segundo cliente anônimo (...) foi notificado de que a acusação de seu primeiro cliente era totalmente falsa e fabricada, já que (Travolta) não estava em Los Angeles quando 'John Doe 1' afirma que teve um encontro com ele", disse o texto. "No entanto, a acusação de 'Doe 2' é tão fabricada como a de 'Doe 1'. Nosso cliente será completamente absolvido em um tribunal dessas duas acusações absurdas", promete o advogado de Travolta.

A primeira ação, levada diante de um tribunal de Los Angeles na segunda-feira, assegura que Travolta tentou fazer sexo com um massagista, a quem supostamente teria pagado 200 dólares por uma mensagem de uma hora.

De acordo com a ação, Travolta recolheu o massagista em seu carro em 16 de janeiro, o levou para uma cabana do hotel Beverly Hills e, depois de receber massagens durante uma hora, ofereceu fazer uma "massagem invertida" e tocou o pênis do massagista, se oferecendo para masturbá-lo.

O massagista afirma que respondeu a Travolta que não fazia sexo com seus clientes. Supostamente, o ator o qualificou então como "perdedor", pagou o dobro do acordado e foi embora.

Na ação impetrada nesta terça-feira, um segundo massagista diz que foi contratado em 28 de janeiro para fazer uma massagem em um quarto de um hotel em Atlanta, onde Travolta teria tido comportamento semelhante.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade