Publicidade

Estado de Minas

Fracasso na evacuação de jornalistas na Síria


postado em 27/02/2012 19:03

As negociações e os preparativos em curso nesta segunda-feira para retirar os jornalistas estrangeiros bloqueados no bairro rebelde de Baba Amr, em Homs, fracassaram, indicou à AFP o presidente do Crescente Vermelho árabe sírio (CRAS), Abdel Rahmane Attar.

"Nossa equipe, composta de vinte voluntários extremamente corajosos com quatro ambulâncias e um carro fúnebre, entrou em Baba Amr e se manteve no bairro durante cerca de três horas, enquanto os representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) aguardavam fora do lugar", explicou.

"Depois, um intermediário de Baba Amr veio nos dizer que a jornalista do Figaro, Edith Bouvier, se recusava a sair sem que as condições que ela impôs fossem atendidas", acrescentou.

"Não sabemos dessas condições e não sabemos se ela realmente recusou porque não conseguimos entrar em contato direto com ela", acrescentou.

"Nossa equipe propôs ficar com os corpos dos dois jornalistas mortos na quarta-feira, mas o intermediário indicou que eles estavam em outro local. Nós retiramos uma idosa, assim como uma mulher grávida e seu marido, todos sírios. As negociações devem ser retomadas amanhã", disse.

O CICV e o CRAS tinham conseguido na sexta-feira pela primeira vez evacuar sete feridos e vinte mulheres e crianças doentes de Baba Amr.

Em Genebra, um porta-voz da Cruz Vermelha Internacional afirmou: "O CICV e o Crescente Vermelho estão em Homs, os voluntários do Crescente Vermelho sírio entraram em Baba Amr com o objetivo de realizar operações de retirada das pessoas que precisam de ajuda e de fornecer uma assistência médica."

A jornalista francesa Edith Bouvier e o fotógrafo independente britânico Paul Conroy, ficaram feridos na quarta-feira em um bombardeio durante o qual morreram a americana Marie Colvin, repórter do Sunday Times, e o francês Rémi Ochlik, fotógrafo da agência IP3 Press.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, havia afirmado nesta segunda de manhã que "o início de uma solução" estava em andamento para retirar os jornalistas ocidentais bloqueados em Homs.

Homs está localizada a 160 km de Damasco e os bairros rebeldes, como Baba Amr, estão submetidos a intensos bombardeios do Exército sírio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade