Publicidade

Estado de Minas

Blatter sai vitorioso depois de rejeitada proposta inglesa de adiamento da eleição


postado em 01/06/2011 14:24

(foto: AFP PHOTO / FABRICE COFFRINI )
(foto: AFP PHOTO / FABRICE COFFRINI )
O congresso da Fifa rejeitou nesta quarta-feira a proposta da Federação Inglesa (FA) de adiar a eleição presidencial, ganha pelo suíço Joseph Blatter, candidato único que cumprirá seu quarto mandato. A proposta britânica foi rejeitada por 172 votos contrários ao adiamento e 17 favoráveis. O presidente da FA, David Bernstein, pedira o adiamento para dar mais credibilidade ao processo e permitir a candidatura de um dirigente comprometido com a reforma da entidade. "Muitos me disseram que eu não deveria ter tomado tal iniciativa, mas considero que uma eleição com um candidato único como fraudulenta, por isso peço que ele seja adiada", declarou o dirigente inglês no discurso que fez antes da votação. Logo depois da sua intervenção Bernstein ouviu muitas vozes contrárias a sua proposta. Um dos dirigentes mais críticos foi Julio Grondona , presidente da Federação Argentina de Futebol (AFA). "Estou um pouco surpreso com o fato de que na maioria dos congressos dos quais participamos, o assunto mais importante tenha sido sempre o das finanças, mas pelo jeito", disse Grondona ironicamente, antes de atacar os britânicos. "Estamos buscando soluções fora do lugar e sempre vem do mesmo lado, da Inglaterra", completou. Ángel María Villar, presidente da Federação Espanhola também reagiu, criticando não só a Inglaterra, mas também a imprensa que noticiou os recentes escândalos. "Já chega! Nos deixamos guiar por essas pessoas que nos insultam, nos agridem. Moucharafou Anjorin, presidente da federação de Benim, disse que ficou "muito chateado pelo que a Inglaterra fez. Qual é o país no mundo que mais se aproveita do futebol? A Inglaterra! A Inglaterra não pode nos distrair. Que a agenda seja respeitada, isso é democracia. Vamos aplaudir! Não, lá, mais forte! Vamos apaudir o Blatter!" Já o alemão Theo Zwanziger, presidente da federação do seu país, mostrou-se mais moderado nas suas críticas. "Não tem outra alternativa (para Blatter). Ele certamente não é o homem do futuro da Fifa. O que aconteceu foi um escândalo, mas não podemos deixar de votar nele apenas baseando-se em suspeitas. Ele é o único candidato. O que adiantaria adiar as eleições, como pediu a delegação inglesa?", declarou Zwanziger. Além disso, o dirigente alemão sugeriu que o modo com o qual o Qatar foi escolhido para sediar a Copa do Mundo de 2022 seja reavaliado. "Existem muitas suspeitas, portanto considero que precisamos reexaminar a forma com o qual foi atribuída esta Copa do Mundo, levando em conta estas preocupações".


Publicidade