UAI
Publicidade

Estado de Minas DEU RUIM

Mulher que acusou pastor de importunação sexual acaba indiciada por calúnia

Polícia Civil finaliza investigação e aponta que a suposta vítima registrou a denúncia para prejudicar o pastor e retirá-lo da presidência da igreja


17/06/2022 08:53 - atualizado 17/06/2022 09:22

carro da Polícia Civil
Polícia Civil finalizou investigação e indiciou suposta vítima por calúnia (foto: Reprodução)

Uma mulher de 40 anos que denunciou um pastor por importunação sexual foi indiciada por calúnia em João Monlevade, na Região Central de Minas Gerais.

 

A investigação da Polícia Civil começou em maio deste ano,quando a suposta vítima acusou o pastor, de 63 anos, de tê-la importunado sexualmente algumas vezes, desde o ano de 2020.

 

Durante a operação, os policiais constataram que a mulher, em acordo com outros integrantes da igreja, registrou a denúncia para prejudicar o pastor e fazer com que ele fosse afastado da presidência da igreja, cargo que ocupava à época.

 

Ainda segundo a Polícia Civil, os fiéis estavam insatisfeitos com algumas mudanças de ordem religiosa e administrativa que o pastor implementou na igreja durante o tempo de presidente.

 

A mulher e outros envolvidos foram indiciados por denunciação caluniosa, e outros integrantes da igreja, por falso testemunho. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade