UAI
Publicidade

Estado de Minas Pregão

Prefeitura de São Sebastião do Paraíso aluga ônibus e assume transporte

Empresa de Araguari venceu pregão e prefeito pretende, a médio prazo, fazer com que o transporte se pague


28/12/2021 14:21 - atualizado 28/12/2021 16:29

São Sebastião do Paraíso
Os passageiros de São Sebastião do Paraíso serão transportados, na zona urbana, a partir de 3 de janeiro, pela JIM, de Araguari (foto: João Roberto Nogueira/Divulgação )

Foi homologada nesta segunda-feira (27/12) a licitação para o transporte coletivo de passageiros em São Sebastião do Paraíso. Os ônibus foram alugados pelo município e, com isso, a prefeitura assume o transporte coletivo de passageiros na cidade. A empresa vencedora foi a JIM Comércio e Serviço Ltda., empresa de Araguari (MG), no procedimento licitatório realizado no dia 14 de dezembro.

A empresa venceu o certame por R$ 17.332,93 mensais por ônibus, num total de R$ 138 mil. A Talma Transportes, de Belo Horizonte, cujo contrato por concessão está em vigor até o dia 31 de dezembro, continuará com dois veículos na zona rural. O contrato com a JIM começa a vigorar no dia 3 de janeiro de 2022, com prazo de 12 meses. Os ônibus chegam nesta terça-feira (28/12) em São Sebastião do Paraíso.

Segundo o prefeito Marcelo Morais, a ideia é o transporte se pagar em um curto espaço de tempo. Ele explica que a margem do município é de R$ 70 mil de gastos com o transporte coletivo. “A gente acredita que vai gastar em torno de R$ 65 mil, que está girando hoje de subsídio. A prefeitura deve gastar neste primeiro momento apenas R$ 20 mil de subsídio por mês. Nossa proposta é que a prestação de serviço seja da prefeitura. A ideia é que em um curto espaço de tempo não tenhamos que pagar subsídio para o transporte”, disse.

Atualmente, a bilhetagem por rota é de 30 mil pessoas. Marcelo Morais acredita que dá para elevar este número para 35 mil, apostando na volta às aulas e na excelência do serviço. “Não vamos ficar mais reféns de empresa nenhuma, assumindo o transporte”, comentou Morais. Ele acredita que o serviço vai se pagar nos próximos meses, sem investir dinheiro público.

O preço da passagem continuará sendo o mesmo, R$ 3,45, sem reajuste. O contrato prevê o aluguel do ônibus, já com os motoristas por conta da empresa responsável pela manutenção dos veículos. A prefeitura entra somente com o óleo diesel e com a gestão propriamente dita.

O objetivo do prefeito Marcelo Morais é evitar despesas como o pagamento de subsídios mensais na casa de R$ 65 mil, como ocorreu em novembro e dezembro, condição para que o transporte da população não fosse interrompido.  

A medida adotada pelo município consta do Processo de Licitação, modalidade Pregão Presencial nº 080/2.021. O certame ocorreu na escolha da oferta do menor preço e proposta mais vantajosa para eventual contratação de empresa especializada em prestação de serviços de locação de frota de ônibus. Conforme o edital, devem ser ofertados ônibus básico e miniônibus com motorista e sistema de catracas para atender o sistema de transporte coletivo urbano e rural de passageiros em linhas regulares do município.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade