UAI
Publicidade

Estado de Minas AMARANTINA

Morador de Ouro Preto sobre enchente: 'Sobrou a roupa do corpo'

Chuva de 220 milímetros na cidade deixou rastro de destruição, principalmente nos distritos de Amarantina e Cachoeira do Campo


19/10/2021 10:33 - atualizado 19/10/2021 18:32

Casa derrubada pela chuva em Amarantina, Distrito de Ouro Preto
Temporal derrubou casas no Distrito de Amarantina, em Ouro Preto (foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)
Morador do distrito de Amarantina, em Ouro Preto, Região Central de Minas, o operador de máquinas Ademiro Mansueto mal teve tempo de sair de casa na noite dessa segunda-feira (19/10). Ele está entre as mais de cem pessoas desalojadas pelas inundações provocadas pelo  temporal de 220 milímetros que atingiu a região .

- Leia:  Grande BH e outras regiões têm previsão de novas tempestades

"Sobrou praticamente a roupa do corpo, perdi tudo: máquina de lavar, TV, geladeira, fogão. Até os colchões a gente perdeu. Parte do que eu tinha dentro de casa estragou. E a outra parte, a enxurrada carregou", desabafa o pai de família, que mora com a esposa e três filhos de 6, 4 e 3 anos, a menos de 50 metros do Rio Maracujá.

O volume de chuvas fez com que o curso d'água transbordasse, deixando um rastro de destruição em ao menos cinco distritos de Ouro Preto. 

"Foi questão de minutos até que a chuva alagasse tudo. Eu e minha mulher só tivemos tempo de colocar as crianças nas costas e sair correndo. Estamos ficando na casa da minha irmã.", conta o o morador. 

Moradores atingidos pelas chuvas tentam recuperar o que sobrou em casa após a inundação
'Perdi tudo', diz morador de Amarantina, que mora a 50 metros do Rio Maracujá, que transbordou com o volume de chuvas (foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)
A comerciante Geliane Pereira também teve que carregar a mãe durante a madrugada. Segundo a moradora, a água invadiu a casa da idosa, trazendo barro e muita sujeira. "Saímos de casa correndo e fomos buscá-la. Saímos eu, meu marido e meu cunhado no meio do temporal carregando a minha mãe, que já não anda mais", descreve a mulher.

Na Rua Olaria, o campo de futebol virou uma espécie de depósito de escombros da chuva. Os habitantes se reúnem no local para verificar o que será possível aproveitar. 

A Escola Municipal Major Raimundo Felicíssimo foi transformada em abrigo e central de doações de alimentos, águas, roupas, colchões e toalhas. 

Moradora limpa a casa inundada de barro pela enxurrada
Na Rua Olaria, o campo de futebol virou uma espécie de depósito de escombros do temporal. (foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)
Segundo a Defesa Civil Estadual, ao menos 25 famílias ficaram desalojadas. Um imóvel chegou a desabar. Ninguém ficou ferido, pois os residentes conseguiram sair a tempo. 

O Corpo de Bombeiros registrou ocorrências em ao menos mais 4 distritos além de Amarantina, tais como Cachoeira do Campo, Santo Antônio do Leite, Antônio Pereira e Miguel Burnier. O secretário de Obras de Ouro Preto classificou a situação do município como crítica.

Doações

Sala de aula de escola municipal em Amarantina com doações arrecadadas para os desabrigados
Escola em Amarantina virou abrigo e central de doações para desabrigados (foto: Jair Amaral/EM/D.A.Press)
A Prefeitura de Ouro preto arrecada doações para os atingidos pelo temporal. Os donativos podem ser entregues diretamente na Escola Major Raimundo Felicíssimo (R. Padre Pedrosa, s/n° - Centro), na Escola Municipal Haydee Antunes (Cachoeira do Campo) e na Secretaria de Turismo de Ouro Preto (R. Cláudio Manoel, 61).

Outras informações podem ser obtidas nos telefones (31) 3559-3287 e (31) 3559-1592. Quem preferir pode fazer uma contribuição ufinanceira por meio do pix 3198591-4602.  








receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade