Publicidade

Estado de Minas Abuso sexual

Estupro provoca comoção em São João Evangelista

Segundo o delegado Luiz Jardim, nesse momento é preciso ter cautela para que não haja um equívoco na acusação


13/07/2021 20:17 - atualizado 13/07/2021 21:55

A cautela é a principal arma do delegado Luiz Jardim para prender o estuprador(foto: PCMG)
A cautela é a principal arma do delegado Luiz Jardim para prender o estuprador (foto: PCMG)
Numa cidade de 16 mil habitantes, acontece um estupro de uma mulher, o que se transforma num caso de grande comoção social. Foi o que aconteceu em São João Evangelista, no Vale do Rio Doce.

 

Segundo o delegado local, Luiz Jardim, em virtude do sigilo necessário às investigações, não é viável informar detalhes sobre os trabalhos policiais, no entanto, ele frisa que o caso exige que sejam adotadas técnicas de inteligência policial.

“É legítima a voz que ecoa da sociedade, entretanto, é preciso que se tenha prudência na manifestação, pois, do contrário, poderá ser praticado o crime de denunciação caluniosa, que consiste na atribuição leviana de uma infração penal a pessoa inocente, que, assim, ficará exposta ao risco de retaliação, motivada pelo desejo de justiça”, alerta o delegado.


Ainda segundo ele, “o importante é que a coletividade atue de maneira integrada com as forças de segurança pública”. Ele pede que qualquer informação que possa contribuir para o esclarecimento do fato deve ser informada à polícia. “Temos o Disque Denúncia, através do número 181, que garante o sigilo”.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade