Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

COVID-19: taxa de contágio no Sul de Minas é 67% maior que em todo o estado

Pesquisa da Unifal aponta que a Região Sul continua sendo a mais atingida pela pandemia do novo coronavírus no estado


24/06/2021 22:26 - atualizado 24/06/2021 23:04

Sul de Minas tem maior taxa de contágio do estado, número é 67% maior que em todo estado de MG(foto: Getty Images/Reprodução)
Sul de Minas tem maior taxa de contágio do estado, número é 67% maior que em todo estado de MG (foto: Getty Images/Reprodução)

Segundo estudo da Universidade Federal de Alfenas (Unifal), a taxa de contágio por coronavírus no Sul de Minas é 67% maior que em todo estado de Minas Gerais.

No estado, desde a última semana, há estabilidade. A pesquisa aponta que a Região Sul continua sendo a mais atingida pela pandemia em Minas.

Mesmo estável, os números continuam altos, com uma média móvel diária de 1.686 casos por semana. Isso tem sido decisivo para manter a taxa de internação acima de 100 e a de mortes em 30 por dia.
 
A taxa de internações se mantém estável, mas a projeção para o fim de junho e meados de julho aponta para uma situação crítica de internações e mortes.

A tendência de crescimento do número de mortes passou de 26% para 47%. O impacto do feriado de Corpus Christi está associado aos mais de 2 mil casos registrados nos dias 15, 16 e 17 de junho.

Já em relação ao Dia dos Namorados, o efeito será sentido a partir do dia 24 deste mês. Importante ressaltar que a pesquisa se baseia nas informações divulgadas pelo ‘Painel de Monitoramento’ da COVID-19, feito pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).

Em reportagem ao Estado de Minas, o coordenador da pesquisa, Sinézio Inácio da Silva, apontou para o resultado positivo da vacinação das pessoas idosas. O número de casos graves e internações diminuiu muito por conta do imunizante contra a COVID-19.
 
Os dados do estudo apontam que atualmente a tendência é de que o novo coronavírus atinja pessoas mais jovens com permanência hospitalar prolongada.
 
Outro dado apontado é que desde o primeiro dia da onda roxa, a média diária de novos casos por semana no Sul de Minas têm ficado acima de 1.000 – exceto na sexta semana. A partir da décima semana, a média de novos casos ficou acima de 1.600.

Situação nas cidades sul-mineiras

Entre os maiores municípios do Sul, em 21 de junho Poços de Caldas, Varginha, Passos e São Sebastião do Paraíso apresentaram tendência de crescimento na incidência de ocorrências da COVID-19, a exemplo de  Varginha (quatro semanas seguidas) e São Sebastião do Paraíso (três semanas seguidas).
 
Somente Lavras e Três Corações tiveram diminuição e Três Pontas saiu da estabilidade e foi para taxas menores. Pouso Alegre, Itajubá e Alfenas atingiram a estabilidade.

No caso das internações, Pouso Alegre, Passos, Lavras e Alfenas tiveram tendência de crescimento. Pouso Alegre pela segunda semana seguida e Alfenas pela quarta semana. Especificamente, nessas cidades, a situação é preocupante, pois elas são referência regional no atendimento hospitalar.

Diminuíram o número de internações Poços de Caldas, Itajubá e Três Pontas. As que registraram estabilidade foram Varginha, Três Corações e São Sebastião do Paraíso.

O crescimento do número de mortes foi observado em cinco das 10 cidades mais populosas do Sul mineiro (Poços de Caldas, Pouso Alegre, Lavras, Alfenas e São Sebastião do Paraíso). Essa situação se mantém por duas semanas seguidas nos outros quatro municípios, exceto em Lavras.

A Região Sul confirmou, segundo a SES, 247.966 casos e  5.806 mortes por COVID-19, sendo 225.218 recuperados e 16.972 pacientes em acompanhamento ou aguardando confirmação.
 
Os números podem divergir das secretaris municipais de Saúde. 
 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação.
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara? Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina? Confira esta e outras perguntas e respostas sobre a COVID-19.


Quais os sintomas do coronavírus?

Desde a identificação do vírus Sars-CoV2, no começo de 2020, a lista de sintomas da COVID-19 sofreu várias alterações. Como o vírus se comporta de forma diferente de outros tipos de coronavírus, pessoas infectadas apresentam sintomas diferentes. E, durante o avanço da pesquisa da doença, muitas manifestações foram identificadas pelos cientistas. Confira a relação de sintomas de COVID-19 atualizada.

O que é a COVID-19?

A COVID-19 é uma doença provocada pelo vírus Sars-CoV2, com os primeiros casos registrados na China no fim de 2019, mas identificada como um novo tipo de coronavírus pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em janeiro de 2020. Em 11 de março de 2020, a OMS declarou a COVID-19 como pandemia.


Veja vídeos explicativos sobre este e outros tema em nosso canal


 
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade