Publicidade

Estado de Minas JUIZ DE FORA

Morre cantora gospel Cristiane Ferr em decorrência da COVID-19

Cantora era defensora de 'tratamento precoce' com ivermectina, azitromicina e hidroxicloroquina


12/06/2021 16:43 - atualizado 12/06/2021 16:46

Cristiane Ferr era cantora e compositora gospel, com parcerias em todo o Brasil(foto: Arquivo pessoal)
Cristiane Ferr era cantora e compositora gospel, com parcerias em todo o Brasil (foto: Arquivo pessoal)


A cantora e compositora gospel Cristiane Ferreira de Souza, de 51 anos, conhecida como Cristiane Ferr, morreu em decorrência da COVID-19, em Juiz de Fora, nesta sexta-feira (11/6). Cristiane emplacou vários sucessos nacionais no meio gospel e coleciona parcerias em mais de 20 anos de carreira.
Ela estava internada com COVID-19 desde o início deste mês. Sua mãe também está infectada pelo novo coronavírus e permanece no hospital em tratamento.
 
Desde 2019, a cantora também exercia a profissão de fisioterapeuta. Cristiane nasceu no Rio de Janeiro, mas morava em Juiz de Fora - onde começou a cantar aos 13 anos nas igrejas. Entre os vários álbuns gravados, Cristiane Ferr tem sucessos nacionais, como “Restaura Minha Família”, “Deus Fiel”, “Poder de Deus”, "Deus Está Aqui”. Como autora, tem parcerias como  a de Sérgio Marques na música “O Sonho não acabou”, na voz de Gisele Nascimento.  


 
Ela também foi indicada como “Cantora Revelação”, pelo Troféu Promessas, em 2013. 
 
Nos últimos anos, Ferr sofria de depressão e fazia tratamento com terapia e medicamentos. 
 

'Tratamento precoce'

 
Em dezembro do ano passado, em post na rede social durante a pandemia, Cristiane admitiu que tomava os medicamentos ivermectina, azitromicina e hidroxicloroquina como forma de prevenção à COVID-19. O post era de uma campanha que ‘forçava’ as prefeituras a usar e distribuir esses medicamentos. 
 
Quanto à eficácia deste tipo de tratamento, em depoimento à CPI da COVID nesta semana, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, reconheceu não haver evidência científica de que a hidroxicloroquina e a ivermectina funcionem para tratar a COVID-19.
 
Juiz de Fora acumula 1.693 mortes em decorrência da COVID-19 e 35.303 casos confirmados. A taxa de ocupação de UTI-SUS Covid está em 71,43%.
 
Quanto à vacinação, Juiz de Fora tem 184.273 pessoas imunizadas com a primeira dose e 83.029 com a segunda dose - o que corresponde a 14,48% da população imunizada com as duas doses da vacina contra a COVID-19.
 


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas

[VIDEO4]

 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade