UAI
Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Flexibilização barrada em MG

Diante do patamar elevado de casos e mortes, comitê que acompanha a pandemia mantém 10 macrorregiões na onda vermelha e quatro na amarela


28/05/2021 04:00

Movimento em hospital de Uberaba, na Triângulo do Sul, uma das macrorregiões que seguem na onda vermelha do Minas Consciente (foto: André Santos/Prefeitura Municipal de Uberaba - 16/2/21)
Movimento em hospital de Uberaba, na Triângulo do Sul, uma das macrorregiões que seguem na onda vermelha do Minas Consciente (foto: André Santos/Prefeitura Municipal de Uberaba - 16/2/21)

Com casos e mortes estabilizados em alto patamar e risco de uma terceira onda da doença, o Comitê Extraordinário COVID-19 decidiu, ontem, manter as 14 macrorregiões de saúde nas respectivas ondas do Minas Consciente em que se encontram atualmente. Com isso, 10 delas, as macros Centro, Centro Sul, Jequitinhonha, Leste, Leste do Sul, Nordeste, Noroeste, Oeste, Sul e Triângulo do Sul permanecem na onda vermelha do plano, mais restritiva, enquanto as regiões Norte, Triângulo do Norte, Vale do Aço e Sudeste seguem na onda amarela, fase intermediária de flexibilização das medidas de isolamento social.

Apesar disso, pela primeira vez, microrregiões podem progredir para a fase mais flexível do plano. O grupo, que se reúne semanalmente para avaliar a situação da pandemia no estado e conta com integrantes da Assembleia Legislativa, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, do Ministério Público, da Associação Mineira dos Municípios e da Defensoria, entre outros órgãos, decidiu permitir que as micros de Turmalina/Minas Novas/Capelinha, Montes Claros/Coração de Jesus, Francisco Sá, Caratinga e Coronel Fabriciano/Timóteo avancen para a onda verde. Isso permitir a retomada da economia com nível mínimo de restrições, a partir de amanhã. Já as microrregiões de Curvelo, Barbacena, João Pinheiro e Além Paraíba evoluem da onda vermelha para a amarela.

Por sua vez, as micros de Guanhães, João Monlevade, Araçuaí, Viçosa, Brasília de Minas/São Francisco/Januária, Pirapora, Oliveira/Santo Antônio do Amparo e Ubá voltam para a onda vermelha.

A fase verde em algumas microrregiões vai possibilitar a transferência de pacientes e reorganização do sistema de saúde, segundo afirmou o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti. “Pela primeira vez, temos microrregiões onde a situação está mais favorável, progredindo para a onda verde. (...) Estamos hoje (ontem) com uma força-tarefa em Passos para reorganizar o sistema de saúde e transferir pacientes. Também estamos trabalhando pela abertura de novos leitos”, disse. As demais microrregiões serão mantidas como na semana passada. Vale lembrar que, em caso de divergência entre as ondas da macro e da microrregião, caberá ao prefeito optar por qual recomendação seguir. As normas valem para os municípios que aderiram ao programa.

Cidades pequenas 


As cidades com menos de 30 mil habitantes apresentaram leve aumento na incidência da COVID-19 após cinco semanas em queda, passando de 91 para 87 municípios com incidência abaixo de 50 casos para 100 mil habitantes. Eles podem progredir automaticamente de onda, independentemente da situação da região em que se encontram.

*Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz


Variante indiana


Ficam prontos hoje os resultados de testes em amostras colhidas de paciente com COVID-19 em acompanhamento em Juiz de Fora, na Zona da Mata, para verificar se ele contraiu a variante indiana do novo coronavírus, considerada com maior grau de transmissibilidade e letalidade. "Amanhã, sairá o resultado genômico do caso de Juiz de Fora", confirmou ontem o secretário de Saúde, Fábio Baccheretti , em entrevista coletiva na Cidade Administrativa.



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade