Publicidade

Estado de Minas 1º DE MAIO

Missa do Trabalhador será na Igreja São José Operário, em Contagem

Tradicional celebração na Grande BH ficará sem multidão pela segunda vez por causa da pandemia do novo coronavírus


29/04/2021 16:10 - atualizado 29/04/2021 16:26

Em 2019, fiéis lotaram a Praça da Cemig, na Cidade Industrial, em Contagem, na Grande BH (foto: ARQUIDIOCESE DE BH)
Em 2019, fiéis lotaram a Praça da Cemig, na Cidade Industrial, em Contagem, na Grande BH (foto: ARQUIDIOCESE DE BH)
Pela segunda vez em 45 anos de celebração, devido à pandemia, a tradicional Missa do Trabalhador não será com a multidão que chegava a cerca de 5 mil pessoas em espaço aberto. No próximo sábado (1º), Dia de São José Operário, ela terá lugar, às 10h, na Paróquia São José Operário, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Presidida pelo bispo auxiliar da Arquidiocese de BH, dom Nivaldo Ferreira, a Missa do Trabalhador contará com a participação de representantes de fiéis leigos e padres do Conselho da Região Episcopal Nossa Senhora Aparecida (Rensa). A transmissão será pela TV Horizonte (Canal 30.1 HDTV).
 
 
Conforme a Arquidiocese de BH, a Igreja Católica tem um tempo especial, até dezembro deste ano, para celebrar São José. Em 2021, a partir da Carta apostólica “Patris corde – Com coração de Pai”, na qual Papa Francisco convoca o Ano de São José, há homenagens em todo o mundo ao esposo de Maria e pai adotivo de Jesus.

Segundo o conselheiro da Rensa, Joaquim Augusto de Carvalho, alguns papas declararam São José o maior santo da Igreja Católica depois da Virgem Maria. Joaquim explica que o papa Pio IX propôs que São José fosse modelo para os trabalhadores, instituindo em 1955 a festa litúrgica de São José Operário.

O Papa São João XXIII declarou São José o Celeste Protetor do Concílio Vaticano II e introduziu o nome do Santo no Cânon Romano. Já o Papa Francisco sancionou a introdução do nome de São José no Missal Romano.

“A devoção a São José é forte e espalhada pelo Brasil e pelo mundo. Este santo está presente na vida do povo, como modelo de operário, e por conhecer a Deus no silêncio do seu coração. Por isso, São José é o santo dos anônimos, dos trabalhadores que falam com as mãos, do silêncio operoso e da discrição”, afirma.

Inspiração em tempo de pandemia

O conselheiro Joaquim Augusto de Carvalho destaca ainda que São José Operário, neste tempo de pandemia, inspira os cristãos a colocarem os valores espirituais mais fundamentais para conseguirem uma vida baseada no consolo, na fortaleza e na esperança de dias melhores.

“São José nos motiva a ajudar a salvar vidas e a conserva-las diante do inimigo invisível que é a COVID-19”, diz.

No momento em que tantas pessoas enfrentam o desemprego, a incerteza sobre o futuro, Carvalho ressalta que é preciso confiar em Deus e lutar para que a justiça social e trabalhista aconteça e seja respeitada em nosso país.

“São José nos ensina a solidariedade, a disposição para escutar Deus e os irmãos. Portanto, nesta celebração do dia 1º de maio procuremos descobrir, continuamente, os verdadeiros valores da família, do trabalho, a termos a presença de São José em nossas famílias, no mistério da nossa fé.”


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade