Publicidade

Estado de Minas COLORIR PARA CURAR

Projeto Gentilezas para colorir volta a levar arte a lares de idosos em BH

Serão disponibilizados para instituições filantrópicas de longa permanência de idosos (ILPIs) mais de 750 kits com itens para ilustração


23/02/2021 09:23 - atualizado 23/02/2021 13:45

O projeto surgiu como uma alternativa para transmitir alegria e carinho aos mais velhos durante o período de isolamento(foto: Prefeitura de Belo Horizonte/Divulgação)
O projeto surgiu como uma alternativa para transmitir alegria e carinho aos mais velhos durante o período de isolamento (foto: Prefeitura de Belo Horizonte/Divulgação)
 
Com apenas alguns livros ilustrativos, lápis de colorir e giz de cera é possível ajudar, gradativamente, pacientes de lares para idosos a enfrentarem o atual contexto de pandemia de forma mais leve. Isso é o que aborda o projeto "Gentileza para Colorir", que, após o sucesso da edição passada, volta às instituições filantrópicas de longa permanência de idosos (ILPIs) de Belo Horizonte para continuar transmitindo alegria e carinho aos mais velhos durante o período de isolamento

O projeto é uma iniciativa do Movimento Gentileza, dirigido pela voluntária social e primeira-dama de BH, Ana Laender, em parceria com o poder público e iniciativas privadas. Além de incentivar a criatividade, o programa Gentileza para Colorir também facilita a interação e melhor convivência entre idosos, profissionais dos lares e familiares, especialmente em tempos de pandemia do COVID-19
 
Neste ano, com apoio da Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte, serão disponibilizados a 28 ILPIs mais de 750 kits com livros ilustrados, caixas de lápis de cor e giz de cera, além de apontadores e marcadores de livro. 

“O Gentilezas para Colorir chegou na ILPI como uma arteterapia para os residentes. Em meio à pandemia, a ação ajudou a suprir o tempo ocioso e estimular a mente e o corpo, e também contribui para o autoconhecimento e o desenvolvimento pessoal de cada um. Pode parecer uma atividade simples, mas colorir acabou se tornando essencial para manter a saúde mental e a boa interação entre todos nós”, conta Márcia Sanção, coordenadora do Lar Cristo Rei.

Segundo a Prefeitura da capital mineira, todos os lares participantes serão orientados a higienizar os materiais no momento do recebimento e de como fazer o manuseio dos objetos.

Arte para prosperar


Criado em 2020 em meio a pandemia do coronavírus, o projeto já fez a entrega de mais de 6 mil kits de colorir para lares de idosos de Belo Horizonte e Região Metropolitana. No ano passado, foram realizadas sete edições com livros ilustrados pelos artistas mineiros Fernando Perdigão, Raquel Bolinho, Binho Barreto e Tão, além de três publicações produzidas em conjunto com o laboratório Hermes Pardini.
 
Artes feitas pelos idosos do Lar Cristo Reis(foto: Lar Cristo Rei/Divulgação)
Artes feitas pelos idosos do Lar Cristo Reis (foto: Lar Cristo Rei/Divulgação)
No Lar Cristo Rei, uma das instituições contempladas pelo ‘Gentileza para Colorir, as artes criadas pelos participantes estão sendo divulgadas nas redes sociais com uma exposição virtual. A alternativa busca compartilhar com vizinhos, familiares e para o público o esforço e resultado dos idosos com o projeto.
 
Dona Maria das Dores Silva, de 84 anos, é uma cozinheira aposentada e atualmente reside no Lar Cristo Rei. Ela conta que, além de ser uma passatempo, nos dias em que colore nos livros ilustrativos, se sente mais leve: “É muito bom para distrair, a cabeça fica mais leve. Posso ficar até às 22:00 da noite colorindo, até começar minhas novelas. Gostei muito de colorir principalmente os desenhos de gafieiras e de pagodes.”  
 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade