Publicidade

Estado de Minas TRABALHO DE PREVENÇÃO

Escora de segurança salvou vida de bombeiros em incêndio de Contagem

Fábrica de peças em madeira pegou fogo na cidade da Grande BH na manhã desta sexta-feira


09/10/2020 20:50 - atualizado 09/10/2020 21:03

Trabalho de prevenção evitou que vidas de militares fossem perdidas em fábrica de peças em madeira(foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
Trabalho de prevenção evitou que vidas de militares fossem perdidas em fábrica de peças em madeira (foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

 

O incêndio na fábrica de peças de madeira no Bairro Novo Boa Vista, em Contagem, na Grande BH, figurou no noticiário na manhã desta sexta-feira (9). Porém, um fato só veio à tona horas depois, no boletim registrado pelos bombeiros. Os militares poderiam ter sofrido um soterramento se não tivessem seguido os passos de segurança indicados pela corporação numa ocorrência como essa.

 

Isso porque antes de qualquer ocorrência onde há risco de desabamentos, os bombeiros precisam colocar escoras ao redor da estrutura em questão. Isso para que os militares sejam preservados em caso de queda.

 

Foi exatamente o que aconteceu na fábrica de Contagem. O teto do estabelecimento desabou, mas a parte onde os bombeiros estavam continuou intacta justamente por causa das escoras.

 

Militares combatem incêndio em Contagem, na Grande BH(foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
Militares combatem incêndio em Contagem, na Grande BH (foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
 

 

O combate às chamas no local começou ainda madrugada, por volta de 1h. A testemunha que ligou para o 193 disse que as chamas estavam altas. Há residências na Rua Colômbia, e os moradores tiveram que deixar os imóveis por segurança.

 

Bombeiros tiveram muito trabalho para combater incêndio em Contagem(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Bombeiros tiveram muito trabalho para combater incêndio em Contagem (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
 

 

No início desta manhã, nove viaturas do Corpo de Bombeiros atuavam no combate no local que, devido à atividade realizada, abriga materiais altamente inflamáveis. 

 

Também havia quatro viaturas da Polícia Militar (PM), além de policiais civis e uma equipe de resgate para prestar atendimento aos bombeiros se necessário.

 

Os bombeiros informam que foram gastos 85 mil litros de água no combate ao fogo, que atingiu seis cômodos do estabelecimento.

 

Proprietário lamenta

Ainda não se sabe o que provocou o incêndio. O proprietário do estabelecimento, Sérgio Luiz Gomes, falou ao Estado de Minas nesta manhã, ainda abalado com a situação. Ele contou que no local fabrica vassouras, móveis e outros produtos em madeira.

 

“Eu não sei o que aconteceu, se é curto ou o que foi. Não posso falar nada. Sei que me avisaram que estava pegando fogo. Provavelmente pode ser um curto circuito. Tem energia lá dentro, mexe com madeira, o tempo seco”, disse.

 

Sobre as informações de que o local não tinha autorização para funcionar, ele se defende.

 

“Eu queria deixar bem claro que, tudo bem, não tenho registro, não tenho alvará. O pessoal está falando em clandestinidade, mas eu sou trabalhador, eu não sou desonesto. O povo fica falando e tem que olhar isso aí. Não é só chegar detonando. Eu perdi tudo”, lamentou, dizendo que ainda não conseguiu contabilizar os prejuízos.

 

Gatinhos salvos

Já com o dia claro, enquanto faziam o rescaldo do incêndio, retirando os materiais de dentro do espaço, os bombeiros foram surpreendidos por uma ninhada de gatos.

 

Os quatro filhotes foram resgatados de cima do telhado do estabelecimento. Eles estavam assustados, mas não apresentavam ferimentos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade