Publicidade

Estado de Minas POLICIAIS CAPIXABAS

Ocorrência em Matipó registra tiro, ameaça, briga e jogos de azar; entenda

Casal que estaria envolvido com jogos de azar teve a casa invadida e sofreu ameaças


05/09/2020 12:49 - atualizado 05/09/2020 13:14

Armas, munições e máquinas caça-níqueis foram apreendidas(foto: PMMG/Divulgação )
Armas, munições e máquinas caça-níqueis foram apreendidas (foto: PMMG/Divulgação )
A Polícia de Matipó investiga uma estranha situação que começou com um tiro disparado por um militar capixaba e que pode, pelas circunstâncias, ter relação com jogos de azar. O fato aconteceu à noite de sexta-feira (5), em uma casa da Rua Nossa Senhora da Conceição, no Bairro Palhada.

Moradores da rua acionaram a Polícia Militar depois de ouvirem um disparo de arma de fogo. Ao chegarem ao local, os militares foram surpreendidos ao se depararem com dois homens, de 36 e 28 anos, que se identificaram como sendo da PM do Espírito Santo. A dupla não ofereceu resistência, entregando suas armas e distintivos.

No entanto, eles teriam contado uma história ao menos "confusa" para os militares mineiros. Eles alegaram que uma mulher de 48 anos, que seria a dona da casa, teria pego uma faca para agredi-los. Por isso teriam efetuado o disparo, em sinal de alerta.

Já o casal dá uma versão diferente. Eles alegam que os policiais capixabas estavam junto com outros dois homens, também militares, que invadiram a casa. Os donos da casa alegam que quando tentaram saber do que se tratava, foram ameaçados e agredidos pelos invasores.

Em depoimento à PMMG, o dono da casa disse que os autores da agressão tentavam pressioná-lo a voltar a trabalhar com jogos de azar, o que ele já teria feito no passado.

Os outros dois homens (36 e 44 anos) que haviam fugido, acabaram capturados. Em suas defesas, alegaram que a dupla capixaba havia pegado carona com eles para Belo Horizonte e, no caminho, pediram para que entrassem na cidade de Matipó pois "queriam rever um amigo".

As seis pessoas foram presas e apreendidas duas pistolas Glock, calibre .40, pertencente à PMES; 56 munições intactas dessa arma; quatro carregadores .40, um Honda/Civic; quatro máquinas caça-níquel; R$ 4.067,00 em dinheiro e diversos documentos, que serão analisados.

A apreensão das armas confirmou que uma delas teve um cartucho disparado. Todos foram levados para a Delegacia de Matipó e o veículo recolhido ao pátio credenciado pelo Detran.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade