Publicidade

Estado de Minas SUSTOS NA PANDEMIA

Da morte ao 'corongão': um ator e 8 personagens contra o coronavírus

'Povo começou a usar a máscara', acredita Fábio de Almeida. Por cinco semanas, ele foi às ruas de uma cidade mineira para conscientizar a população


30/07/2020 19:01

(foto: Divulgação/ Prefeitura de Formiga e Arquivo Pessoal)
(foto: Divulgação/ Prefeitura de Formiga e Arquivo Pessoal)

Debaixo do manto preto e com a foice em punho, Fábio viu, através da máscara, quando um sujeito sacou o celular do outro lado da rua. E pensou: "É agora!". O pedestre fez um vídeo e gravou um áudio, que ressoaria nos dias seguintes: "(Se) Cês forem no Centro, toma cuidado que a morte tá rondando lá, aí ó".

Minutos depois, o material já estava no Zap da cidade inteira e o trabalho do ator, recreador e animador de festas Fábio de Almeida Faria ultrapassaria os limites de Formiga, cidade de 65 mil habitantes no Oeste de Minas Gerais. Naquele dia vestido de morte, Fábio não imaginou que a ação educativa contra o coronavírus pudesse gerar tanto resultado.

E cinco semanas depois, ele comemora: "Entre o primeiro dia e hoje, eu percebo que o povo está usando mais máscara e evitando aglomerar no Centro", diz o ator, cujo anonimato foi mantido pela prefeitura, organizadora da ação, até esta quinta-feira (30/7), quando essa fase da campanha educativa se encerrou.



Em cinco semanas, ele deu vida ao Astronauta, à Morte, ao Corona, ao Dr. Covid, ao Formigão, ao Chucky e ao Caveira. "Desses, a Morte e o 'Corongão' foram os que mais deram Ibope", explica Fábio. 

Dar corpo e voz à macabra ceifadora de vidas foi a primeira ideia que ocorreu a Fábio, quando surgiu o convite da prefeitura para integrar a campanha nas ruas. Depois, ele ficou reticente; duvidou se seria uma boa; não queria que as pessoas entendessem a iniciativa como algo de mau gosto.

E esse dilema o atormentou todos os dias, até o momento da performance: "Eu pensava: Vou ficar lá parecendo que eu to desejando isso para os outros? Todo dia eu me benzia, falava com Deus, ô Deus, não estou desejando isso pra ninguém não".

A personificação do vírus também exigiu particularmente da equipe de direção de arte (no caso, o Fábio mesmo): trata-se de fantasia com o corpo do Zé Carioca e cabeça adaptada da Cuca do Sítio do Pica-Pau-Amarelo; saiu o bico e entraram os espetinhos no cabeção verde.

E as reações foram as mais inusitadas, desde a surpreendente viralização até os pedidos para fazer fotos - mas mantendo a distância. "A maioria do pessoal olhava e achava interessante - falava 'Oua!'". (Nota para não-formiguenses: 'Oua' é uma expressão sem significado específico - uma espécie de Uai -, interjeição exclamativa que denota surpresa ou aprovação.)

Com formação em atuação no Rio de Janeiro, e experiências profissionais em palcos de teatro e na própria empresa de animação de festas (totalmente paralisada durante a pandemia), Fábio reafirmou nessas performances uma convicção vocacional.

De acordo com o setor de Vigilância Sanitária de Formiga, nos dois primeiros meses da pandemia foram registradas 125 notificações de descumprimento das regras de isolamento - como a obrigatoriedade do uso de máscara - em estabelecimentos comerciais. Já nos últimos dois meses, o número de registros caiu para 51.

"Teatro é magia. Por meio de personagens, a gente consegue fazer com que as pessoas parem e pensem sobre coisas que, de outra forma, elas não fariam. Experiência como essa palco nenhum tinha me oferecido", finaliza. Oua! 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade