Publicidade

Estado de Minas

Chegada do coronavírus assusta moradores da menor cidade do Brasil

Quatro casos foram confirmados em Serra da Saudade, cidade de 781 habitantes no Centro-Oeste de Minas


21/07/2020 06:00 - atualizado 21/07/2020 08:40

Vista de Serra da Saudade, cidade com 781 habitantes no Centro-Oeste de Minas, que registra os primeiros casos da doença em moradores que receberam visitas de parentes (foto: Divulgação)
Vista de Serra da Saudade, cidade com 781 habitantes no Centro-Oeste de Minas, que registra os primeiros casos da doença em moradores que receberam visitas de parentes (foto: Divulgação)


Nem mesmo a cidade com a menor população do Brasil escapa da pandemia do novo coronavírus. Serra da Saudade, na Região Centro-Oeste de Minas, registrou os primeiros casos de COVID-19. A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde local ontem. A cidade, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tem 781 habitantes. Em Minas Gerais, o número de casos confirmados chega a 94.132, sendo que 66.369 estão recuperados e 25.271 continuam em acompanhamento, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES). O total de mortos chegou ontem a 2.004.

Em março, moradores de Serra da Saudade, que tem apenas dois supermercados, uma padaria e uma loja, levaram um susto depois que foram feitas quatro notificações com suspeita da doença. Para alívio geral, todas foram descartadas pelas autoridades sanitárias. Desde então, não havia surgido nenhuma outra suspeita para testagem. Agora, no entanto, veio a confirmação.
 
De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, quatro pessoas de uma mesma família testaram positivo para a COVID-19 e uma quinta faria ontem o teste rápido. O resultado não foi divulgado até o fechamento desta matéria. Eles receberam visitas de parentes de Dores do Indaiá. Após a testagem, houve a confirmação e todos estão em isolamento domiciliar. O perfil dos pacientes ainda não foi informado pela Secretaria de Saúde. As confirmações ainda não apareciam ontem no boletim da SES. Segundo a assessoria do município, novos testes estão sendo realizados antes dos confirmados serem lançados no sistema.

Medidas restritivas


Por se tratar de um município pequeno e até então sem vestígios do novo coronavírus, as medidas restritivas não foram tão rigorosas quanto em grandes centros. Os poucos comércios funcionam normalmente adotando as normas sanitárias de higienização. Por lá, apenas as aulas foram suspensas. A aposta foi na conscientização dos moradores com barreiras sanitárias e distribuição de kits de prevenção, como máscaras. Houve também mobilização, logo no início da pandemia, para evitar turistas.
 
No início desde mês, o secretário de Saúde, Amarildo Fernandes, já havia sinalizado receio com as viagens de moradores até as cidades referências da região. A decisão de não suspender a atividade econômica local foi baseada nos riscos de os moradores fazer compras em outras localidades. “Se eu fechar e o pessoal sair daqui, colocaremos o município em maior risco”, comentou na época.

Ruas permanecem vazias, embora os poucos estabelecimentos comerciais estejam abertos: prefeitura analisa medidas(foto: Divulgação)
Ruas permanecem vazias, embora os poucos estabelecimentos comerciais estejam abertos: prefeitura analisa medidas (foto: Divulgação)

 
Com as confirmações, a Secretaria Municipal de Saúde ainda não sabe quais os passos deverá seguir. A assessoria de comunicação disse que as possibilidades serão analisadas e deverá ser levado em consideração o fato de a contaminação ter ocorrido, supostamente, em função do contato com moradores de outro município.
 
A notícia pegou a população de surpresa. “Todo mundo ficou apreensivo, não deixa de gerar um pouco de pânico”, afirmou a conselheira tutelar Maria Aparecida Cardoso. Mesmo com o cenário de insegurança, ela diz que as medidas preventivas adotadas trazem mais tranquilidade. “A família, por consciência, tomou a iniciativa de se isolar há cerca de 10 dias”, contou.

Macrorregião 


Até domingo, Serra da Saudade figurava entre os cerca de 9% dos municípios mineiros onde o vírus ainda não havia chegado. O superintendente regional de saúde da macrorregião Oeste, Allan Rodrigo disse que a interiorização do vírus já era esperada. “Estávamos prevendo, em meados até final de abril, que a interiorização ia acontecer em junho e ela aconteceu mais tarde, em julho. Esse fenômeno que atrasou um pouco é em virtude do arranjo feito pelo estado em relação aos demais com medidas restritivas, por exemplo”, explica. Isso fez também com que a macrorregião tivesse mais tempo para se preparar.
 
“O contraponto é que já temos um plano regional para dar uma resposta assistencial a esses municípios, que é compatível com a demanda que a gente espera”, afirma o superintendente. Serra da Saudade responde à microrregião de Bom Despacho, que conta com a retaguarda de 40 leitos clínicos e outros 20 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A quantidade é suficiente, segundo Allan, desde que não haja sobrecarga com outros tipos de comorbidades e causas. O período de maio e junho teve um aumento de 15% de acidentes em relação ao ano passado”, conta. Isso faz com que leitos direcionados para o tratamento do novo coronavírus sejam ocupados por outros pacientes. Soma-se a isso agravamento de outras doenças comuns nesta época do ano, como pneumonia que também necessita de suporte. (Amanda Quintiliano especial para o EM)

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade