Publicidade

Estado de Minas CRUELDADE

Criança denuncia abuso para a avó, e mãe e padrasto são presos em Contagem

Menina, de nove anos, disse em áudio para a avó paterna que era abusada desde os cinco; a mãe negou o crime, mas o padrasto confessou


postado em 02/07/2020 15:48 / atualizado em 02/07/2020 17:17

Os delegados Luciano Guimarães (E) e Rodrigo Bustamante, e a delegada Mellina Clemente falaram sobre o caso(foto: Reprodução/ PC)
Os delegados Luciano Guimarães (E) e Rodrigo Bustamante, e a delegada Mellina Clemente falaram sobre o caso (foto: Reprodução/ PC)
Um pedido de ajuda de uma criança de nove anos à avó paterna levou para a prisão a mãe da menina e o padrasto em Contagem. Segundo os primeiros levantamentos feitos pela Polícia Civil, havia quatro anos que a criança vinha sendo abusada sexualmente.
 

Segundo a delegada Mellina Clemente, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, que comanda as investigações, a criança gravou um áudio para a avó paterna pedindo ajuda. Essa, então, noticiou os fatos ao pai biológico. “A vítima falou para a avó não sentir nojo dela, relatando o que acontecia na casa da mãe desde quando ela tinha cinco anos.”

 

A criança morava com o pai, mas passava temporadas com a mãe e o companheiro dela. Segundo a vítima, os abusos aconteciam quando ela se deitava para dormir, na cama da mãe - que é surda e muda.

A menina relatou também que tinha medo que o mesmo ocorresse com a irmã, de dois anos, filha do casal, quando não estivesse na casa. “Os pais chamavam a criança menor para participar das relações, mas ela (a vítima) impedia que isso acontecesse”, conta a delegada Mellina.

Danos psicológicos


Antes da prisão do casal, a menina passou por uma avaliação psicológica, que confirmou a existência de indícios de danos psicológicos em razão dos abusos. Em exame físico realizado no Instituto Médico-Legal (IML), também foi constatado que ela apresentava ruptura do hímen.


“Diante da gravidade dos fatos e do risco envolvendo a irmã mais nova da vítima, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva do casal, que foi deferida e cumprida”, completa a delegada.


Um mandado de busca e apreensão foi cumprido na casa, sendo confiscados aparelhos eletrônicos e vários vídeos pornográficos, inclusive várias fotos da filha menor tomando banho.


A mãe foi ouvida com o apoio de um intérprete da Associação de Surdos de Contagem (ASC) e negou o ocorrido. Ela tentou, inclusive, segundo a policial, imputar abusos a parentes do pai da criança, que também tem deficiência auditiva. Já o padrasto, confessou o crime e detalhou todos os acontecimentos.


O homem foi preso em casa, no Bairro Jardim Vera Cruz, em Contagem. Já a mulher, no local de trabalho, no Bairro Buritis, em Belo Horizonte.

Nenhum dos dois possuía antecedentes criminais. Ambos responderão pelos crimes de estupro de vulnerável e prática de relação sexual na presença de criança e adolescente.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade