Publicidade

Estado de Minas EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Crise do coronavírus fez crescer a procura por cursos de formação a distância

Em apenas um mês, Senac registrou 450 mil novas matrículas


postado em 24/04/2020 20:55

Roland Anton Zottele destaca a grande oferta de cursos gratuitos no Senac(foto: Arquivo pessoal)
Roland Anton Zottele destaca a grande oferta de cursos gratuitos no Senac (foto: Arquivo pessoal)
O isolamento gerado pela pandemia do novo coronavírus fez crescer o número de matrículas de cursos a distância. A constatação é do gerente de desenvolvimento do Senac, Roland Anton Zottele. Ele informa que, desde o início da quarentena, os cursos da instituição tiveram 450 mil novas matrículas.


“Somente nesta sexta-feira abrimos a oferta de 117 cursos. Ao meio-dia, só havia 74 sem estarem com as vagas esgotadas”, contou.

A maioria dos cursos oferecidos é de curta duração e não exige a presença de um tutor, diz o gerente de desenvolvimento. São 240 mil inscritos nessa categoria.

Existem também os cursos chamados “tutoriais”, em que os alunos podem interagir com o professor via internet. “Se ele tiver uma dúvida, se precisar de um esclarecimento, ele tem a quem consultar via internet.” Nessa modalidade, segundo Roland, são 170 mil matriculados.

Outros cursos do Senac são frutos de parcerias e são do segmento tecnológico. “Nesses, há 36 mil matriculados. São importantes para atender esse segmento”. Por fim, os cursos de extensão universitária têm hoje 7.500 matriculados.

O outro lado

“Chance de aprimoramento”. É assim que o terapeuta constelador Roberto Firmino, de 55 anos, viu esse período de coronavírus. “Era preciso ocupar o tempo, pois não estamos fazendo atendimento como fazíamos, presencial e em grupo. Por isso, resolvi fazer um curso que me permitisse aprimorar ainda mais na constelação.”

Roberto Firmino, de 55 anos, aproveita a pandemia para se aprimorar(foto: Arquivo pessoal)
Roberto Firmino, de 55 anos, aproveita a pandemia para se aprimorar (foto: Arquivo pessoal)


O novo curso, segundo ele, permitirá principalmente melhorar a sua performance na profissão. “É um momento único, que procuro aproveitar. Estarei atendendo melhor, me aprimorando nesse curso.”

Rafael Oliveira, de 29 anos, é programador em computação. Ele era instalador de antenas de internet a rádio. Em meio à pandemia, decidiu fazer cursos remotos. De 2013 a 2017, ele já havia feito uma graduação a distância. Hoje, trabalha na ETUS Media, de Belo Horizonte, mas fica instalado em Guapé.

Rafael Oliveira, de 29 anos, é frequentador assíduo de cursos remotos(foto: Arquivo pessoal)
Rafael Oliveira, de 29 anos, é frequentador assíduo de cursos remotos (foto: Arquivo pessoal)

“Para quem trabalha com sistemas de informática, os cursos complementares são uma rotina”, disse.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade