Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Coronavírus: PBH nega cortes de servidores do SUS na capital

Para minimizar gastos e evitar propagação da doença, agentes comunitários do SUS foram colocados em férias até 30 de junho


postado em 17/04/2020 18:16 / atualizado em 17/04/2020 19:56

Servidores que exercem atividades ganharam férias coletivas. PBH garante que empregos serão mantidos(foto: Sindibel/Divulgação)
Servidores que exercem atividades ganharam férias coletivas. PBH garante que empregos serão mantidos (foto: Sindibel/Divulgação)
 
Mesmo com dificuldades em função do aumento significante do coronavírus, a prefeitura de Belo Horizonte promete manter o quadro de funcionários da saúde e nega que fará cortes no período. De acordo com projeção feita pela Secretaria Municipal da Fazenda, o município pode perder até R$ 1 bilhão com a arrecadação de impostos, o que traz preocupação extra para honrar o pagamento dos servidores.
 
Neste ano, a prefeitura já havia direcionado R$ 200 milhões para recuperar a cidade dos estragos feitos pelas chuvas. Agora, com o coronavírus, Kalil já liberou em torno de R$ 220 milhões adicionais na saúde e na assistência social aos alunos de escolas municipais, autônomos e às populações mais fragilizadas de vilas e favelas

Para minimizar os efeitos e, ao mesmo tempo, evitar a propagação ds COVID-19, a Secretaria Municipal de Saúde deu férias coletivas aos agentes comunitários do SUS desde quinta-feira (16). Os trabalhadores que exerciam atividades presenciais antes da pandemia só voltarão ao trabalho, em princípio, em 30 de junho. Eles são responsáveis por ações administrativas e preventivas e educativas de saúde realizadas periodicamente em domicílios ou nas comunidades.  
De acordo com a PBH, os servidores que estavam no grupo de risco já haviam sido afastados por precaução. Agora, só continuarão em atividade os funcionários que podem exercer suas atividades em casa, cumprindo as medidas de isolamento social orientadas pelo Ministério da Saúde. “Foi publicado nesta quinta-feira, 16/4, no Diário Oficial do Município, portaria SMSA/SUS-BH Nº 0103/2020, que determina, entre outras medidas, a antecipação de férias regulamentares, folgas compensativas, banco de horas e licença prêmio (necessariamente nessa ordem) ao agente público que não for possível atribuir o regime de teletrabalho e que a atividade presencial não seja essencial neste momento, incluindo os profissionais afastados preventivamente,  devido à maior vulnerabilidade à COVID 19”, diz nota da prefeitura. 

Combate ao Aedes Aegypti

No período com maior índice de foco do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, Zika ou Chikungunya, a PBH prometeu manter a atividade dos agentes de combate às endemias. Os servidores voltarão ao trabalho na próxima semana, depois de ficarem em sobreaviso, enquanto a prefeitura efetuava a compra dos equipamentos de proteção. “O processo foi finalizado e os equipamentos serão distribuídos aos profissionais. É importante esclarecer que os agentes passarão por capacitação para uso correto e higienização das máscaras”, diz a PBH.

De acordo com o município, os funcionários que atuam nas atividades que envolvam leishmaniose visceral, castração de cães e gatos, controle de raiva, vistorias em pontos estratégicos (locais que normalmente têm um maior número de potenciais criadouros do Aedes aegypti) e monitoramento de armadilhas para o Aedes aegypti, continuam trabalhando normalmente, pois já contavam com equipamento de proteção individual.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade