Publicidade

Estado de Minas

Prefeitura de BH suspende velórios em seus cemitérios por causa do coronavírus

Antes, cerimônias estavam restritas a 10 pessoas com duração máxima de uma hora. Objetivo é evitar aglomeração de pessoas


30/03/2020 18:57 - atualizado 30/03/2020 18:58

Cemitério do Bonfim está com velórios suspenso por tempo indetermnado(foto: Divulgação/PBH)
Cemitério do Bonfim está com velórios suspenso por tempo indetermnado (foto: Divulgação/PBH)

 

Estão suspensos por tempo indeterminado os velórios nos cemitérios de Belo Horizonte. O motivo? Evidentemente, a pandemia do novo coronavírus, que já infectou ao menos 163 pessoas na capital mineira, conforme o último balanço da Secretaria de Estado de Saúde.

 

A medida compreende os cemitérios do Bonfim, da Consolação, da Paz e da Saudade, além da Capela Velório Barreiro, e vale a partir desta terça-feira (31).

 

Antes, a prefeitura já havia adotado medidas para diminuir a aglomeração de pessoas nos cemitérios. Os velórios aconteciam com no máximo 10 pessoas, nenhuma delas podia apresentar sintomas da Covid-19, e duração de uma hora.

 

 

 

De acordo com a portaria, a realização de serviços administrativos – como retirada de documentos, atualização cadastral e transferência de titularidade dos jazigos – continua suspensa enquanto durar o período de emergência.

 

Apesar disso, não haverá prejuízos ou implicações administrativas ao concessionário do jazigo.

 

Todas essas medidas, de acordo com o Executivo municipal, seguem as orientações do Ministério da Saúde acerca do combate ao novo coronavírus.

 

Funcionários

 

Quando anunciou as primeiras medidas restritivas aos velórios, a prefeitura informou que ações preventivas também seriam adotadas para resguardar os funcionários dos cemitérios.

 

Portanto, a Fundação de Parques Municipais e Zoobotânica (FPMZB), que administra os cemitérios, optou por escalas de trabalho reduzidas, distância entre os servidores e a orientação para que pessoas não ocupem o mesmo espaço.

 

O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.
 
 
 

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:
Febre
Tosse
Falta de ar e dificuldade para respirar
Problemas gástricos
Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:
Pneumonia
Síndrome respiratória aguda severa
Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus. 

 

Os funcionários que se enquadram nos grupos considerados de maior risco pelos órgãos de saúde estão em regime de sobreaviso ou teletrabalho, em suas respectivas residências, independentemente da natureza de suas atividades.

 

A fundação indicou que intensificou os serviços de higienização dos espaços de uso coletivo, como banheiros e refeitórios, e suspendeu a realização de reuniões entre equipes, ressalvadas aquelas estritamente necessárias. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade