Publicidade

Estado de Minas REPORTAGEM DE CAPA

Veja a lista das 90 cidades em alerta de chuva intensa em Minas

Grandes volumes de chuvas estão previstos para a Região Metropolitana de BH e mais 56 municípios. Pelo menos dois decretaram ponto facultativo. Outros já registram estragos


postado em 24/01/2020 06:00 / atualizado em 24/01/2020 10:38

(foto: Arte EM)
(foto: Arte EM)


O dia começa sob alerta da Defesa Civil para chuvas de alta intensidade em 90 municípios de Minas Gerais: Belo Horizonte e Região Metropolitana (34) e outras 56 cidades (veja mapa). Segundo órgão, a atuação da Zona de Convergência do Atlântico em conjunto com um sistema de baixa pressão na costa sudeste pode produzir volumes de chuva significativos, com acumulados entre 80 e 120 milímetros pelo menos até as 10h de hoje. A atenção deve ser redobrada.

As precipitações que começaram ontem, provocaram estragos e mobilizaram autoridades em todo o estado. Prefeituras de pelo duas cidades – Betim e Santa Luzia – decretaram ponto facultativo hoje. A determinação vale para a administração municipal, exceto nos serviços de urgência e emergência. As prefeituras ainda orientam que empresas, indústrias e comércios façam o mesmo como medida de segurança aos trabalhadores. Em vários municípios, prefeituras criaram pontos de apoio para receber possíveis desabrigados. Foi o caso de Contagem, que está em estado de emergência e reservou duas escolas para prestar assistência social a moradores já desabrigados pelos temporais de domingo ou que ainda tenham que deixar suas casas. A cidade mapeou 46 pontos de atenção, sujeitos a inundações.



Inundações foram registradas em outros municípios da região metropolitana de BH, alterando a rotina de trânsito nas cidades. Em Mateus Leme, a Polícia Militar precisou orientar a população a deixar uma área urbana com risco de alagamento. Em Santa Luzia, moradores relataram, por meio de redes sociais, riscos geológicos e pontos de alagamento. Rodovias também sofreram danos. Na MG-424, que liga Sete Lagoas a Santa Luzia, uma encosta caiu na altura do quilômetro 18, em Pedro Leopoldo, e interditou as duas pistas, provocando congestionamento nos dois sentidos da estrada.

Ontem, em Aricanduva, no Vale do Jequitinhonha, dois açudes se romperam e parte da comunidade foi alagada. De acordo com a Coordenadora Municipal de Defesa Civil e Polícia Militar Ambiental, o rompimento provocou elevação de um córrego da cidade, o Paca. Houve inundação momentânea, sem registro de vítimas, desalojamentos ou prejuízo para serviços essenciais.

A previsão da força-tarefa criada no estado para enfrentar os impactos dos temporais é de que ocorra chuva volumosa também na Zona da Mata e Vale do Rio Doce, distribuída ao longo do dia. De acordo com a meteorologista Laís Alves Santos, do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), não há motivo para pânico. “Não é uma chuva milenar, não é fora do comum porque tem uma recorrência. No início do ano mesmo já choveu muito”, tranquilizou a meteorologista.

Ver galeria . 33 Fotos Alagamento na Avenida Otacílio Negrão de Lima, próximo ao número 7.400, Bairro Bandeirantes, na Região da PampulhaPaulo Filgueiras/EM/DA Press
Alagamento na Avenida Otacílio Negrão de Lima, próximo ao número 7.400, Bairro Bandeirantes, na Região da Pampulha (foto: Paulo Filgueiras/EM/DA Press )


BARRAGENS O alerta de chuvas torrenciais não só em Minas mas em grande parte do país também movimentou a Agência Nacional de Mineração (ANM), que pediu às empresas que têm barragens atenção especial às suas estruturas. Um comunicado divulgado ontem abrange especialmente os estados de Minas Gerais, Goiás, Espírito Santo e Rio de Janeiro. “Solicitamos que as equipes de segurança de barragens dos empreendedores se mantenham em alerta e com monitoramento diário das condições de barragens até 27/1, em especial do estado de conservação”, diz a nota. ”Solicitamos, ainda, que mantenham atenção às tomadas d’água dos vertedouros garantindo a capacidade vertente de acordo com o projeto”, acrescentou a ANM.

A Agência reforçou o pedido para que as mineradoras acionem o Plano de Ação de Emergência para Barragens de Mineração (PAEBM) e informem riscos imediatamente no Sistema Integrado de Gestão de Segurança de Barragens de Mineração (SIGBM) – sistema que gerencia as barragens de mineração no território nacional, o empreendedor deve atualizar sempre que ocorrerem mudanças na estrutura ou em seu reservatório.

*Estagiárias sob supervisão da subeditora Rachel Botelho




Publicidade