Publicidade

Estado de Minas

Polícia Federal e PM prendem três por envio de drogas por correspondência em Minas

As cartas eram enviadas para todo o território nacional e eram remetidas com endereços de Poços de Caldas


postado em 08/08/2019 09:36 / atualizado em 08/08/2019 10:22

Alguns comprimidos de ecstasy imitavam o logo do serviço de streaming Netflix(foto: Polícia Militar/Polícia Federal)
Alguns comprimidos de ecstasy imitavam o logo do serviço de streaming Netflix (foto: Polícia Militar/Polícia Federal)


A Polícia Federal (PF) investiga tráfico de drogas via correspondências na cidade de Poços de Caldas, no Sul de Minas Gerais. Várias correspondências foram interceptadas e dentro dos envelopes a polícia encontrou ecstasy e micropontos de LSD. 

As cartas eram enviadas para todo o território nacional e eram remetidas com endereços de Poços de Caldas. Foi checado junto aos correios os dias e horários da semana em que as cartas eram postadas. A Polícia Federal teve apoio da Polícia Militar (PM) e conseguiu localizar alguns suspeitos. 

Segundo a Polícia, um homem for abordado postando uma correspondência em Poços de Caldas. Dentro do envelope a polícia encontrou cerca de 300 comprimidos de ecstasy, além de micropontos de LSD. No carro do suspeito a polícia encontrou outro envelope com as mesmas substâncias dentro. Ele foi preso em flagrante por crime de tráfico. 

Envelope remetido com endereço de Poços de Caldas(foto: Polícia Militar/Polícia Federal)
Envelope remetido com endereço de Poços de Caldas (foto: Polícia Militar/Polícia Federal)


Ainda de acordo com os militares, o proprietário da droga também foi localizado em Poços de Caldas. Ele pagava cerca de R$ 100 para cada postagem realizada. Na casa dele a polícia encontrou maconha e haxixe, além de grande quantidade de dinheiro e ainda as mesmas embalagens aprendidas nos correios. Ele também foi preso em flagrante. A namorada do suspeito, que ajudava nas transações interestaduais e na embalagem da droga, também foi presa. 

Os presos foram levados para a Delegacia da Polícia Federal em Varginha.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade