Publicidade

Estado de Minas

Corpo de prefeito morto a tiros por vereador vai ser enterrado neste domingo

O corpo do prefeito de Naque, no Vale do Rio Doce, vai ser sepultado em Governador Valadares


postado em 14/07/2019 09:57 / atualizado em 14/07/2019 11:28

(foto: Allex Eller/ Alterosa e Reprodução)
(foto: Allex Eller/ Alterosa e Reprodução)

Será sepultado, na tarde deste domingo, no Cemitério Memorial, em Governador Valadares,no Leste do Estado, o corpo do prefeito de Naque – cidade de 6,9 mil habitantes, no Vale do Aço –  Hélio Pinto de Carvalho (PSDB), de 55 anos, conhecido como “Hélio da Fazendinha”. Ele  foi morto a tiros  na manhã sábado. 

 
O autor do assassinato é o vereador e comerciante no município Marcos Alves de Lima (PSDC), o “Marquinho do Depósito”, que se envolveu em uma discussão e uma briga com a vítima. Ele fugiu imediatamente após o crime, mas foi preso horas depois em um condomínio em Governador Valadares,  a 50 quilômetros de Naque. 

Ao ser levado para a Delegacia de Governador Valadares, onde foi autuado em flagrante, o vereador confessou o crime e apresentou o seguinte argumento: atirou em legítima defesa para impedir uma surra de taca (chicote). Ele se diz arrependido.

O corpo do prefeito Hélio da Fazendinha será levado para o sepultamento em  Governador Valadares depois ser velado na Câmara de Vereadores de Naque. Com a morte dele, assume o comando da prefeitura do município o vice-prefeito Fernando da Costa Silva (PROS). 

O prefeito e o vereador já tinham desavenças antigas. Na manhã de sabado, ele se encontraram junto a um local onde Marquinho do Depósito comprou terreno para implantar loteamento ao lado de área da prefeitura. 

Segundo testemunhas, o vereador estava instalando uma porteira na entrada do terreno do loteamento, local em que funcionários da prefeitura teriam jogado terra, com o uso de uma  máquina. Por causa disso, começou a discussão entre Hélio da Fazendinha e Marquinhos, que estava montado em um cavalo. 

Ainda conforme as testemunhas, Helio e Marquinho acabaram entrando luta corporal e o prefeito atingiu o vereador com um chicote. Foi aí que Marquinho do Depósito sacou uma arma e fez vários disparos  contra o prefeito, que chegou a ser socorrido em uma ambulância, mas não resistiu e morreu ao dar entrada no Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, também no Vale do Aço, a 50 quilômetros de Naque.

Logo em seguida, Marquinhos deixou o local em uma caminhonete Ford Ranger. A Policia Militar montou cerco e iniciou buscas na região. No final da manhã de sábado, o suspeito foi localizado e preso no Condomínio Retiro dos Lagos, em Governador Valadares. 

Segundo a PM, com Marquinhos foi apreendido um revólver 38, com um tambor que comporta cinco munições. 

No entanto, informações extra-oficiais apontam que a perícia identificou sete perfurações no corpo da vítima. Ainda serão esclarecidas as suspeitas de que o autor teve tempo de recarregar o revólver ou pode ter usado outra arma no homicídio, informou a Policia Militar. 

LEGITIMA DEFESA

Em entrevista ao chegar a delegacia em Governador Valadares, na tarde deste sábado, o vereador e comerciante Marcos Alves de Lima, o Marquinho do Depósito, disse estar arrependido e que agiu em legítima defesa ao apanhar com um chicote,  tomado pelo  prefeito  de suas mãos. 
. “Ele (o prefeito) me tirou do cavalo, conseguiu me dominar. Tomou a taca (chicote) da minha mão e começou a me dar tacadas”, relatou o vereador. 

“Atirei como (sic) legítima defesa. Ele é perigoso. Simplesmente me defendi”, assegurou. O vereador alegou arrependimento. 

“Estou sim (arrependido). Quem não se  arrepende? Eu  tenho filhos, eu tenho família. Ou eu fazia isso ou teria que me mudar da minha cidade. Que iria correr na cidade inteira (a noticia que)  “Marcos tomou um coro do prefeito da cidade”. Eu não bagunceiro. Eu tenho nome na cidade Iria ficar uma posição muito chata pra mim”.
 
Neste domingo, segundo informações da PM, o vereador deverá ser encaminhado para o presídio do Leste do Estado, onde permanecerá à disposição da Justiça. 


Publicidade