Publicidade

Estado de Minas

Casos notificados de febre maculosa sobem para 78 em Contagem

Na próxima quinta-feira, técnicos do Ministério da Saúde vão novamente na cidade para fazer um trabalho epidemiológico. Seis casos da doença já foram confirmados neste ano no município


postado em 25/06/2019 15:02 / atualizado em 25/06/2019 15:10

Casos confirmados da doença obrigaram a prefeitura de Contagem a tomar medidas de contenção(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 12/6/19)
Casos confirmados da doença obrigaram a prefeitura de Contagem a tomar medidas de contenção (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press - 12/6/19)

As suspeitas de casos de febre maculosa em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, não param de aumentar. Já são 78 notificações da enfermidade registrados neste ano na cidade, sendo que seis foram confirmados. Entre as confirmações, estão quatro pacientes que não resistiram aos sintomas. Em um dia, o número subiu 20%, saindo de 65 registros suspeitos para 78.

Representantes do Ministério da Saúde continuam o trabalho para ajudar no combate a doença. Na próxima quinta-feira, a equipe vai entregar para a Secretaria Municipal de Saúde um estudo sobre as ações que devem ser implementadas na cidade nos próximos meses com o objetivo de conter o surto de febre maculosa.

No início do mês, os técnicos se reuniram com representantes da Secretaria de Estado da Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde e da Zoonoses de Belo Horizonte. Na ocasião, os representantes elencaram pontos importantes com relação às medidas que estão sendo tomadas para combater o surto de febre maculosa na Vila Boa Vista, no Bairro Nacional.

Vistoria noturna


Os técnicos do meio ambiente de Contagem iniciaram, nessa segunda-feira, uma vistoria na mata localizada atrás do Jardim Zoológico de Belo Horizonte, na divisa entre os dois municípios. O objetivo é identificar se há bandos de capivaras circulando por lá. A identificação de áreas por onde os roedores circulam pode ajudar a entender como a doença chegou ao Bairro Vila Boa Vista, em Contagem, onde ocorreram quatro mortes pela enfermidade.

A medida é importante, principalmente no inverno. O carrapato-estrela, vetor da doença, se reproduz em período mais seco, que coincide com a queda da temperatura, entre junho e agosto.  As capivaras são animais de hábitos notívagos, o que faz com que à noite seja o melhor momento para localizá-las. De acordo com a Secretaria de Meio Ambiente de Contagem, há probabilidade de haver animais que não passaram por castração circulando pelo local.

Uma inspeção noturna já foi realizada pelos técnicos de Contagem ao longo do córrego Água Branca. No entanto, a equipe localizou apenas pegadas do animal. Para rastrear os roedores, foram realizados sobrevoos de drones, que mostraram que eles faziam a região apenas de passagem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade