Publicidade

Estado de Minas

Contagem investiga outras duas mortes por febre maculosa

Dois óbitos já foram confirmados e 13 pessoas já buscaram atendimento médico com sintomas da doença. Diante do quadro, prefeitura de BH alerta profissionais de saúde


postado em 03/06/2019 08:18 / atualizado em 03/06/2019 09:11

Profissional da prefeitura aplica inseticida em residência em Contagem. Ação foi realizada neste domingo(foto: Reprodução da internet/Facebook/Prefeitura de Contagem)
Profissional da prefeitura aplica inseticida em residência em Contagem. Ação foi realizada neste domingo (foto: Reprodução da internet/Facebook/Prefeitura de Contagem)


A Secretaria Municipal de Saúde de Contagem, na Grande BH, investiga mais duas mortes por suspeita de febre maculosa. Dois óbitos já foram confirmadas e 13 pessoas procuraram atendimento médico com sintomas da doença. Nesta segunda-feira, a prefeitura do município vai realizar uma coletiva de imprensa para falar sobre a situação. 

Os óbitos são de pessoas que moravam na região do Bairro Vila Boa Vista. Ontem, equipes do Controle de Zoonoses fizeram controle químico nas casas próximas aos locais notificados. “A Secretaria Municipal de Saúde ainda alerta que ao primeiro sintoma da doença, como febre alta, dores no corpo, dor de cabeça, falta de apetite e desânimo, a pessoa deve procurar imediatamente a unidade de saúde mais próxima de casa”, informa a pasta de Contagem. “Orientamos também que donos de cães, gatos, cavalos e de outros animais que possam ser hospedeiros do carrapato-estrela, façam a vermifugação e banhos com produtos específicos, indicados pelo médico veterinário”, pontua. 



Ainda enfrentando a epidemia de dengue, com 11 mortes registradas, e o avanço da gripe, que já provocou cinco óbitos este ano, a prefeitura de Belo Horizonte emitiu nota aos profissionais de saúde para que fiquem de sobreaviso para atender pessoas com sintomas, “em especial nas unidades no entorno de Contagem”.

“No dia 30 de maio de 2019 foram notificados dois casos de febre maculosa brasileira em pacientes residentes em Contagem com histórico de picada de carrapato e/ou expostos a fatores de risco para doença”, ambos residentes no Bairro Nacional, que morreram. “Outros casos suspeitos seguem em avaliação”, informou a Saúde da capital. Em BH, a última morte registrada em decorrência da doença ocorreu em junho de 2018. A vítima, um menino de 5 anos, estudava em uma escola privada na Pampulha, região onde há a presença de capivaras, um dos animais hospedeiros do vetor da doença.

A Secretaria Municipal de Saúde da capital informou que atende casos de pessoas que vieram de outras cidades. Por isso, foi feito o alerta de maneira preventiva. “Reforçamos o critério para suspeição de febre maculosa, sugerindo que todo paciente com quadro febril agudo e relato de ter estado na região do Bairro Nacional, em Contagem, nas últimas duas semanas, especialmente se envolvidos em atividades de capina ou com relato de terem encontrado carrapato no corpo, sejam avaliados prontamente para a doença”, diz outro trecho do alerta.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informou que nos casos atendidos de residentes de outros municípios, a investigação é de responsabilidade da cidade de origem. “Belo Horizonte recebeu os pacientes, está prestando toda assistência necessária e já divulgou um comunicado para a rede reforçando as orientações sobre os sintomas da febre maculosa e devidos procedimentos para condução de casos suspeitos”, informou.

Agentes fazem coleta de carrapatos na Pampulha, onde se acredita ter havido último contágio fatal em BH(foto: Cristina Horta/EM/D.A Press - 23/9/16)
Agentes fazem coleta de carrapatos na Pampulha, onde se acredita ter havido último contágio fatal em BH (foto: Cristina Horta/EM/D.A Press - 23/9/16)


A doença

A febre maculosa é uma doença infecciosa, febril aguda, de gravidade variável, cuja apresentação clínica pode variar desde as formas leves e atípicas até formas graves, com elevada taxa de letalidade. A doença é transmitida pelo carrapato-estrela, que tem entre seus hospedeiros equinos e animais silvestres, como a capivara, roedor que é visto circulando no entorno da Lagoa da Pampulha, um dos cartões-postais de Belo Horizonte. Os sintomas são febre, dor de cabeça, dores musculares, mal-estar, náuseas e vômitos. Em alguns casos pode ocorrer erupção cutânea, frequentemente com pele escurecida ou incrustada no local da picada do carrapato.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade