Publicidade

Estado de Minas

Justiça e Prefeitura de Belo Horizonte fecham parceria contra o desemprego

O prefeito Alexandre Kalil e o presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, Nelson Missias, visitaram os estandes que foram montados na sede do TJ na Afonso Pena


postado em 06/05/2019 14:25 / atualizado em 06/05/2019 15:26

O prefeito Alexandre Kalil, o presidente do TJ MG Nelson Messias e a secretária Maíra Colares visitaram os estandes nesta segunda (06)(foto: Márcia Maria Cruz/EM/DA PRESS)
O prefeito Alexandre Kalil, o presidente do TJ MG Nelson Messias e a secretária Maíra Colares visitaram os estandes nesta segunda (06) (foto: Márcia Maria Cruz/EM/DA PRESS)
 O prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil visitou, na manhã de segunda (6), a  Feira de Artesanato, Alimentação e Confecção na sede do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, na Avenida Afonso Pena, no Bairro Serra, na região Centro-sul da capital. Com produtos de vestuário, acessórios, calçados, doces e pães, a feira conta com 40 expositores. A iniciativa é resultado de parceria entre a prefeitura e o poder  Judiciário com objetivo de criar alternativas de geração de renda. 
 
A feira  conta com artesãos e empreendedores do Programa Espaço da Cidadania (PEC), da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania, e do Centro Público de Economia Solidária, da Subsecretaria de Trabalho e Emprego da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. São 40 grupos, sendo 20 do Espaço da Cidadania e 20 grupos da economia solidária.
 
Loide Gonçalves Caetano tira o sustento da família da confecção de bonecas de pano(foto: Márcia Maria Cruz/EM/DA PRESS)
Loide Gonçalves Caetano tira o sustento da família da confecção de bonecas de pano (foto: Márcia Maria Cruz/EM/DA PRESS)
A expositora Loide Gonçalves Caetano, de 53, confecciona bonecas de pano há seis anos. Ela encontrou na criação de bonecas a fonte de renda, depois que se aposentou ao receber diagnóstico de Lúpus, doença inflamatória autoimune.  "Quando descobri a doença, fiquei deprimida e comecei a confeccionar as bonecas", recorda-se. E as bonecas chamam atenção pela variedade: São bebês, bailarinas e mocinhas. Algumas ainda, além de objetos decorativos, são funcionais, como é o caso da boneca porta papel higiênico. Os preços variam De $ 10 a R$ 75. 
 
A mães de crianças com deficiência, como é o caso de Sueli de Jesus, têm espaço para expor na feira(foto: Márcia Maria Cruz/EM/DA PRESS)
A mães de crianças com deficiência, como é o caso de Sueli de Jesus, têm espaço para expor na feira (foto: Márcia Maria Cruz/EM/DA PRESS)
 A expositora Sueli de Jesus Wildberger, de 48, também comemorou o espaço para apresentar o trabalho. Com o marido desempregado, a venda de roupas confeccionadas por ela é de onde a família retira a renda mensal.

Desde que a filha nasceu, ela se dedica a confecção de roupa. Ela dedica boa parte ao cuidado da filha que tem autismo. "Esse espaço é maravilhoso. É uma oportunidade não só para mim, como para outras pessoas com outros problemas. Como dizia meu avó: 'cada qual no seu canto sofre o seu tanto", afirma.
 
As próximas edições da Feira de Artesanato, Alimentação e Confecção serão realizadas mensalmente, das 9 às 16h, em três locais: na sede do Tribunal de Justiça (avenida Afonso Pena, 4001, Serra), no Fórum Lafayette (avenida Augusto de Lima, 1549, Barro Preto) e no Fórum Raja Gabaglia (avenida Raja Gabaglia, 1753, Luxemburgo). 
 
 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade