Publicidade

Estado de Minas

Médicos paralisam atividades em Contagem, na Grande BH

Servidores municipais reivindicam reposição de perdas salariais e melhores condições de trabalho. Paralisação termina às 7h desta quarta-feira


postado em 26/03/2019 17:41 / atualizado em 26/03/2019 19:34

Médicos foram à Câmara Municipal de Contagem participar de assembleia(foto: Câmara Municipal de Contagem/Reprodução)
Médicos foram à Câmara Municipal de Contagem participar de assembleia (foto: Câmara Municipal de Contagem/Reprodução)

Médicos servidores municipais de Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, interromperam os atendimentos parcialmente, nesta terça-feira. Os médicos decidiram pela paralisação após uma assembleia na última quarta-feira. De acordo com o Sindicato dos Médicos de Minas Gerais (Sinmed/MG), 85% da classe aderiu a greve.

Os médicos reivindicam um plano de carreiras para a categoria, reposição de perdas salariais, incorporação de adicionais e melhores condições de trabalho. A paralisação tem previsão para terminar às 7h da manhã de quarta-feira,

Às 19h desta terça-feira, uma nova assembleia no Sinmed/MG será realizada para avaliação de propostas da prefeitura e a continuidade do movimento. Caso a prefeitura não se pronuncie, novas paralisações poderão ser feitas.

A decisão da categoria foi feita na última quarta-feira, em assembleia geral extraordinária realizada no sindicato, como uma forma de manifestar indignação diante do descaso da Prefeitura. Nesta manhã, médicos foram à Câmara Municipal de Contagem participar de assembleia.

Segundo o Sindimed/MG, os médicos das Unidades Básicas de Saúde e centros de especialidades não compareceram aos consultórios. Os casos de urgência e emergência são feitos normalmente nas Unidades de Pronto-Atendimento (UPA). 

Em nota, a prefeitura de Contagem, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informou que o prefeito Alex de Freitas terá uma agenda, na manhã desta quarta-feira (27), com o Sinmed/MG. Também disse que tem atendido a maioria das reivindicações da categoria, como a manutenção de gratificações médicas que já existiam e criação de novos incentivos.


A pasta também destacou “que não houve adesão à paralisação por parte dos médicos das cinco UPAs e do Complexo Hospital, que engloba o Centro Materno Infantil e o Hospital Municipal de Contagem”.


Segundo o Executivo municipal, os atendimentos foram parcialmente afetados nos Centros de Consulta Especializados Iria Diniz, no Bairro Eldorado, e Ressaca, no bairro de mesmo nome. Quanto aos pacientes, a secretaria ressaltou que todos saíram com “consultas, exames e procedimentos remarcados”.

 
*Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade