Publicidade

Estado de Minas

Corte de árvore revolta moradores do Coração Eucarístico

Moradores foram surpreendidos por corte de ficus elastica na Avenida Dom José Gaspar. Ânimos ficaram exaltados e PM chegou a ser chamada


postado em 25/07/2018 13:24 / atualizado em 25/07/2018 17:05

Árvore fica no cruzamento das avenidas Dom José Gaspar e 31 de Março(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)
Árvore fica no cruzamento das avenidas Dom José Gaspar e 31 de Março (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)

O corte de uma árvore centenária gerou revolta e protestos de moradores do Bairro Coração Eucarístico, na Região Noroeste de Belo Horizonte, na manhã desta quarta-feira.  No início da tarde, o trabalho havia sido interrompido e a Polícia Militar (PM) foi chamada para registrar um boletim de ocorrência. 

A administradora Danielle Salgado conta que o corte começou por volta das 9h e eles não sabem de onde partiu a ordem. “O pessoal está muito nervoso e não quer deixar cortar o resto, é o símbolo do bairro. Uma árvore centenária, ela não está doente. Já passou biólogo aqui falando que ela está ótima. Os moradores e comerciantes que poderiam pedir para cortar todos são contra, comerciantes estão falando que não foram eles que pediram. A prefeitura disse que foi um pedido, mas ninguém sabe quem”, conta a moradora do bairro.

Segundo Danielle, com a notícia do corte, moradores começaram a ir para o local, que fica no cruzamento das avenidas Dom José Gaspar e 31 de Março, em frente a PUC Minas, para impedir o corte da árvore. A justificativa para o corte seria a de que a planta é inadequada para o passeio e as raízes prejudicariam a passagem, inclusive a de cadeirantes. Em determinado momento, os ânimos ficaram exaltados e houve um bate-boca entre um dos funcionários que trabalhava na poda e um morador. A PM foi chamada.

Funcionários da Prefeitura fizeram o corte de alguns galhos da árvore(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)
Funcionários da Prefeitura fizeram o corte de alguns galhos da árvore (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A.Press)


Um dos moradores que esteve no local foi Leonardo Arantes Araújo, que é engenheiro florestal. Ele diz que a árvore é uma ficus elastica, mais adequada para parques, mas que  não deveria ser cortada porque pode ser considerada um patrimônio da cidade e estava saudável. “Trabalhei no inventário das árvores de BH. Minha equipe esteve no Coração Eucarístico em 2012 e nós avaliamos. Não tenho os dados da avaliação dela mas, por experiência própria, é uma árvore sadia. Não tem indício nenhum de larva, de podridão, nenhum galho pendente que possa cair no trânsito e machucar alguém”, diz Araújo. 

Mas, o engenheiro florestal acredita que com os cortes feitos hoje a planta pode não se recuperar. “Eu acho difícil porque eles fizeram uma poda lateralizada dela. Ela já tem um peso do lado esquerdo dela todo. Vai ter que fazer uma poda de compensação. Agora que podaram um lado todo acho difícil. Teríamos que consultar mais engenheiros”, explicou. 

O em.com.br entrou em contato com a Prefeitura de Belo Horizonte sobre a situação envolvendo o corte da árvore e aguarda resposta. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade