Publicidade

Estado de Minas

Polícia Civil prende quadrilha especializada em golpes contra planos de saúde

Investigação se iniciou em 2017 e culminou na prisão de 12 pessoas; entre os detidos, está o filho de um renomado cirurgião plástico da capital


postado em 18/06/2018 20:14 / atualizado em 18/06/2018 20:24

A Polícia Civil de Minas Gerais desencadeou a Operação ''Hepatite'', nessa segunda-feira, contra uma quadrilha especializada em estelionato, falsificação de documentos e fraude processual. Os golpes englobavam uma clínica médica e escritórios de advocacia. No total, a força-tarefa cumpriu medidas cautelares contra 17 alvos, apreendeu seis veículos de luxo, joias, R$ 50 mil em dinheiro e dezenas de documentos. Das 17 pessoas miradas, a instituição deteve 12 envolvidos.

Entre os presos está Rodrigo Nelson de Moura Guerra, filho de um consolidado cirurgião plástico da capital, um empresário, dois falsos pacientes e dois aliciadores. Outras cinco pessoas ainda estão foragidas, inclusive o advogado Hermann Richard Beinroth, apontado como um dos líderes da quadrilha.

O método utilizado pelo grupo se iniciava com os médicos. Eles emitiam falsos atestados de hepatite C para pacientes saudáveis, que eram aliciados por outros membros da quadrilha.

Quadrilha dava golpes a partir de receitas falsas para comprar do medicamento Epclusa(foto: Reprodução/Instagram)
Quadrilha dava golpes a partir de receitas falsas para comprar do medicamento Epclusa (foto: Reprodução/Instagram)
Depois disso, advogados envolvidos entravam na Justiça contra operadoras de plano de saúde, para exigir o medicamento Epclusa, usado no tratamento da doença. Uma das vítimas é a empresa Amil, que sofreu 17 ações fraudulentas em 2017, com R$ 3,5 milhões de prejuízo. Outras organizações do ramo também podem ter sido vítimas do grupo criminoso e as investigações vão prosseguir. 

O grupo, de acordo com o delegado Rodolpho Machado, começou a atuar há cerca de dois anos e era investigado pela Polícia Civil desde 2017. “Faziam emissões de notas falsas com empresas de fachada e buscavam a tutela antecipada em São Paulo. Com a tutela deferida, o juiz determinava o depósito judicial, os advogados levantavam o alvará e dividiam os valores entre falsos pacientes, aliciadores, médicos e advogados”, explicou o delegado. 

Dois mandados de prisão foram cumpridos em apartamentos do Bairro Vila da Serra, em Nova Lima, na Grande BH. Os outros se deram na capital mineira. Entre os carros alcançados pela Polícia Civil estão um Land Rover Evoque Dynamic, um Crysler 300c, um Audi Q3, um Porsche Cayman, um Volvo XC60, uma BMW 328i. Todos os veículos estão em situação regular de acordo com o Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp).
 
Com informações da TV Alterosa.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade