Publicidade

Estado de Minas

Prefeitura de Três Corações afirma que processo licitatório não guarda ''referências pejorativas''

Edital citava as palavras ''gordo, baleia'' para se referir ao tamanho de caixões; prefeitura vai procurar outros fornecedores ''politicamente corretos''


postado em 10/05/2018 16:19 / atualizado em 10/05/2018 16:38

(foto: Reprodução/TV Alterosa.)
(foto: Reprodução/TV Alterosa.)
Após a polêmica diante do uso dos termos ''gordo, baleia'' em edital para fabricação de caixões, a Prefeitura de Três Corações, no Sul de Minas, decidiu suspender a licitação. Além do cancelamento, o órgão afirmou, em nota, que o texto não faz uso de ''referências pejorativas''. 

Na versão da prefeitura, a terminologia é ''regular e comum no meio funerário''. Para justificar, o órgão municipal fez referência ao Pregão Eletrônico  nº 023/2017 da Marinha, que também teria usado as palavras. 

A justificativa para interrupção do processo licitatório se deu ''para evitar futuros transtornos''. De acordo com a prefeitura, um novo edital será aberto com outros fornecedores. Desta vez, a prioridade será para aqueles que usem classificações ''politicamente corretas''. 

Segundo uma funerária de Belo Horizonte, os termos não são os corretos do ponto de vista ético. A organização afirmou que as classificações seguem os códigos PE01 (obeso), PE02 (pessoas altas) e PE03 (obesidade mórbida). 



Confira abaixo a nota da Prefeitura de Três Corações na íntegra:
 
"A (sic) Poder Executivo de Três Corações esclarece que os termos %u201Cgordo, baleia%u201D, utilizados no processo Licitatório de Serviço Funerário, referem-se aos tipos e denominações de urnas e não guardam quaisquer referências pejorativas ao peso das pessoas que a utilizarão. Essa nomenclatura provém dos próprios fabricantes de urnas, tratando-se de terminologia regular e comum no meio funerário. Vários órgãos federais, estaduais e municipais utilizam-se dessa denominação, inclusive a Marinha do Brasil a utilizou em seu Pregão nº 023/2017. Dessa forma, o Poder Executivo de Três Corações nunca teve o intuito de ofender ou causar constrangimento a qualquer pessoa, agindo estritamente dentro dos limites legais. Contudo, caso qualquer cidadão tenha se ofendido, receba nesta oportunidade, formalmente, o pedido de desculpas do Município que, para evitar futuros transtornos, procurará outros fornecedores que se utilizem de nomenclaturas politicamente corretas, obviamente respeitando o princípio licitatório da busca pelo menor preço."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade