Publicidade

Estado de Minas

Obras no viaduto das Américas serão retomadas 5 meses após paralisação em Contagem

Construção do elevado na Avenida das Américas, sobre a Avenida Severino Ballesteros, estava paralisada desde setembro, causando transtornos para a população


postado em 12/02/2018 06:00 / atualizado em 15/02/2018 09:05

Obra no Bairro Ressaca era para ter sido concluída em fevereiro do ano passado. As intervenções estão orçadas em mais de R$ 12 milhões(foto: Paulo Filgueiras: EM/ D.A Press )
Obra no Bairro Ressaca era para ter sido concluída em fevereiro do ano passado. As intervenções estão orçadas em mais de R$ 12 milhões (foto: Paulo Filgueiras: EM/ D.A Press )

Depois de cinco meses de paralisação total e muitos transtornos causados aos motoristas, a Prefeitura de Contagem promete retomar ainda este mês uma obra importante de mobilidade da cidade. Segundo o secretário de Obras do município vizinho à capital mineira, o viaduto da Avenida das Américas, que começou a ser construído sobre a Avenida Severino Ballesteros Rodrigues, na Região da Ressaca, será retomado a partir de um entendimento entre a administração municipal e a empresa Marco XX, vencedora da licitação e que tinha abandonado as intervenções, estimadas em R$ 12 milhões.

 

A saída dos trabalhadores que construíam o elevado em setembro do ano passado impôs uma barreira de concreto ao trânsito de uma das principais avenidas da cidade, bastante usada, principalmente devido à proximidade com as Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (CeasaMinas). Sem a conclusão da obra e com uma sinalização precária no entorno do pontilhão, condutores exigem o retorno dos trabalhos, pois atestam que as condições no local são as piores possíveis.


A expectativa do secretário de Obras de Contagem, Reinaldo Alves Costa Neto, é de retomar o viaduto ainda em fevereiro e concluir a obra em seis meses. Segundo ele, houve um entendimento com a construtora para que o elevado seja concluído com agilidade. “A nossa demonstração da disposição em fazer cumprir todas as etapas da obra num curto espaço de tempo e não mais permitir uma obra num ritmo de produção tão lento fez com que eles se animassem a retomar a construção”, afirma Reinaldo Alves.

 

O secretário explicou que quando a nova gestão municipal assumiu o comando da cidade foi detectado um ritmo muito abaixo do que deveria ser praticado na obra. A construção começou em fevereiro de 2016 e deveria ter sido concluída um ano depois, em fevereiro do ano passado, mas enfrentou, entre outros problemas, interferência de um cabo de alta-tensão que precisava ser retirado pela Cemig. “A partir do momento em que imaginávamos que teríamos as condições de andar com a obra, a empresa desistiu”, acrescenta o secretário.


Dali em diante, a Prefeitura de Contagem rescindiu o contrato com a Marco XX, mas o secretário disse que a construtora foi à Justiça, se sentindo prejudicada, e conseguiu uma liminar que suspendia os efeitos da rescisão. A partir do momento em que poder público e empresa se entenderam, Reinaldo Alves disse que ficou acertado que a empresa vai entrar com pedido para retirar a liminar e a prefeitura vai cancelar a rescisão do contrato.

 

Até o momento, já foram gastos cerca de R$ 4 milhões na obra e a estimativa do secretário é de que sejam necessários cerca de R$ 500 mil além dos R$ 12,2 milhões previstos em virtude da paralisação e abandono da estrutura.


Escoras No local da obra, o que os motoristas ganharam foi um funil natural, por causa do posicionamento das escoras de metal colocadas para suportar o tabuleiro do viaduto. Com o abandono das obras, as escoras permaneceram ocupando faixas de circulação e o que era para ser uma solução de mobilidade se transformou em tormento para a população. “Essa situação é uma vergonha, principalmente para uma cidade do tamanho de Contagem”, diz o motorista de caminhão Douglas Gabriel de Melo, de 26 anos.

 

“É um verdadeiro absurdo e descaso total. Em horário de pico, você simplesmente não anda neste trecho e ninguém faz nada”, diz o comerciante Vinícius Couto, de 35. Já a empresária Rafaela Guimarães, de 28, disse que a situação beira o estado de calamidade, principalmente quando chove. “Com esse funil que se formou na Severino Ballesteros, eu não sei como ainda não teve um acidente. Ficou muito perigoso e com certeza é um exemplo da má gestão”, afirma.


O viaduto na Avenida das Américas vai permitir a passagem pelo cruzamento com a Severino Ballesteros sem a necessidade de os motoristas pararem em semáforos. As duas avenidas são importantes corredores de acesso à BR-040 e também à Ceasa, que tem grande demanda de caminhões. No caso da Severino Ballesteros, ela ainda faz a ligação entre Contagem e Belo Horizonte pela Região da Pampulha.

 

Além dos transtornos causados pelo abandono da obra, motoristas sofrem com as condições precárias do asfalto bem debaixo do viaduto e da sinalização, bastante deficiente. Segundo a empresa Marco XX, a previsão é que as obras recomecem nas próximas semanas.

Obra: Viaduto da Avenida das Américas sobre a Avenida Severino Ballesteros Rodrigues

Valor previsto: R$ 12.238.446,28

Aditivo necessário devido ao atraso e à paralisação: R$ 500 mil

Tempo de atraso: 1 ano – a obra começou em fevereiro de 2016 e deveria ser concluída em fevereiro de 2017

Novo prazo: A prefeitura estima a conclusão em seis meses a partir da retomada, prevista ainda para fevereiro

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade