Publicidade

Estado de Minas

Motociclista morre degolado por linha de cerol em Belo Horizonte

Ele trafegava pelo Anel Rodoviário, quando foi atingido pela linha, vindo a cair na pista. Equipe do Samu esteve no local e constatou a morte


postado em 27/01/2018 20:50 / atualizado em 28/01/2018 11:36

O uso de cerol causou mais uma morte na Região Metropolitana de Belo Horizonte. No começo da noite deste sábado, um motociclista teve morte imediata ao ser degolado por uma linha cortante, no Km 464 do Anel Rodoviário, no trecho sobre a Avenida Cristiano Machado, 1º de Maio, Norte da capital.

De acordo com as primeiras informações da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), a vítima seguia em sua motocicleta sentido Bairro São Francisco/Jardim Vitória, na pista central, quando foi atingida pelo fio e caiu do veículo. Equipes do Serviço Móvel de Urgência (Samu) estiveram no local e constataram o óbito.

O motociclista José Moreira de Souza, 44 anos, estava com a mulher Marlene Rita, 49 na garupa. Ela contou à polícia quando passavam em cima do viaduto da Cristiano Machado o marido deu um grito e levou a mão ao pescoço, parando a moto em seguida. Ela viu um corte profundo na região da garganta. Segundo Marlene, alguém recolheu a linha e foi embora. 
 
Um carro que passava logo atrás da moto parou para ajudar e acionou o Serviço de Atendimento Móvel à Urgência, mas o homem morreu no local, que foi isolado para perícia da Polícia Civil e o resgate do corpo. Foi realizado desvio para a pista da direita e acostamento, deixando o trânsito lento.

Em 4 de julho do ano passado, o motociclista Cláudio Rogério da Silva, de 46 anos, morreu eletrocutado ao ser atingido por um fio da rede elétrica que foi rompido por uma linha de cerol, na Avenida Príncipe Duarte, no Bairro Flamengo, em Ribeirão da Neves. Bombeiros informaram que o cabo energizado se rompeu quando crianças tentaram puxar uma pipa que estava presa à fiação da via. Dez dias depois, um motoboy ficou ferido após ser atingido por linha de cerol na BR-381, próximo ao Jardim Teresópolis, em Betim.

E, em junho daquele ano, um menino, de 5 anos, morreu após ter o pescoço cortado por uma linha de pipa com cerol, no Bela Vista, em Ibirité. Segundo o pai da vítima, a criança descia de bicicleta em direção a um campo de terra em velocidade considerável, quando foi surpreendido pela linha chilena, uma das mais cortantes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade