Publicidade

Estado de Minas

Contagem e Betim negam aumento do preço das passagens de ônibus

Segundo a prefeitura de Contagem, "não há justificativa consistente" para o aumento. Betim também anunciou que vai manter os valores


postado em 05/01/2018 12:37 / atualizado em 05/01/2018 12:45

Prefeitura de Contagem diz que ainda está na Justiça contra o aumento praticado pelas empresas no início de 2016(foto: Ricardo Lima/Prefeitura de Contagem)
Prefeitura de Contagem diz que ainda está na Justiça contra o aumento praticado pelas empresas no início de 2016 (foto: Ricardo Lima/Prefeitura de Contagem)
Contagem é mais uma cidade da Grande BH a não aumentar o preço das passagens de ônibus no início de 2018. Por meio de nota, divulgada nesta sexta-feira, a prefeitura informou que recebeu a solicitação do aumento das tarifas por parte das concessionárias, mas não autorizou o reajuste. Nesta semana, a prefeitura de Betim também informou que não haverá reajuste no transporte público.

De acordo com a prefeitura de Contagem, as concessionárias pediram cerca de 11% de reajuste, pedindo que a tarifa subisse de R$ 4,05 para R$ 4,50. “A Prefeitura de Contagem entende que o reajuste da tarifa só é possível com uma planilha detalhada que comprovem os investimentos feitos no transporte público. Como não há justificativa consistente, o aumento não foi autorizado”, diz a nota publicada no site do Executivo municipal. 

A prefeitura também informou que ainda está na Justiça contra o aumento praticado pelas empresas no início de 2016. O prefeito Alex de Freitas (PSDB) revogou o aumento anterior, reduzindo o valor de R$ 4,05 para R$ 3,70. Assim, o último reajuste ainda pode ser revertido. 

No último dia 3, foi a vez da prefeitura de Betim, por meio da Empresa de Construções, Obras, Serviços, Projetos, Transportes e Trânsito de Betim (Ecos), comunicar que não haverá aumento nas linhas municipais. O motivo não foi informado. Na cidade, esses ônibus são operados pela Viação Santa Edwiges Ltda e por 170 permissionários do Sistema de Transporte Público de Baixa Capacidade (vans).  Já as linhas que saem de Betim ou passam pelo município em direção a outras cidades são operadas pelo Departamento de Edificações e Estradas de Rodagem de Minas Gerais (DEER/MG) tiveram reajuste nas tarifas. 

No fim do ano passado, a Justiça negou duas vezes o aumento das passagens de ônibus em Belo Horizonte. Após um pedido de liminar reivindicando o reajuste de passagem ter sido negado pelo juiz Marco Aurélio Abrantes Rodrigues em 22 de dezembro, no dia 26 foi a vez de o desembargador Wander Marotta, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) rejeitar um agravo de instrumento sobre o mesmo tema impetrado por consórcios que atuam no transporte coletivo em BH. O caso foi levado à Justiça pelas concessionárias do serviço após o pedido de reajuste 10,5% nas tarifas de Belo Horizonte ter sido negado pelo prefeito Alexandre Kalil (PHS). Ele justificou que não haveria aumento enquanto uma auditoria nos custos não fosse feita.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade