Publicidade

Estado de Minas

Nível do Sistema Paraopeba cai e atinge a sua pior marca

O acumulado das represas Vargem das Flores, Serra Azul e Rio Manso, atingiu 29,4% nesta terça-feira. Copasa garante o abastecimento até janeiro mesmo sem chuva


postado em 25/08/2015 14:00 / atualizado em 25/08/2015 17:57

A represa Serra Azul é a que apresenta o menor nível de água(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 07/08/2015)
A represa Serra Azul é a que apresenta o menor nível de água (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 07/08/2015)

O Sistema Paraopeba atingiu o seu pior nível de capacidade nesta terça-feira. O percentual chegou a 29,4%, superando a marca de 5 de fevereiro de 2015, registro duas semanas depois do anúncio da crise pela Copasa, em que cehgou a 29,47%. Segundo a Companhia essa é o menor volume registrado na Região Metropolitana de Belo Horizonte com a atual configuração do Sistema Paraopeba com seus três reservatórios. Somente de segunda-feira para hoje a queda foi de 0,2 ponto percentual. A tendência é de queda nos próximos dias caso não tenha chuva. Porém, a empresa garante que o volume é suficiente para garantir o abastecimento até dezembro.

O volume disponível em todo o sistema leva em conta o armazenamento das represas Vargem das Flores, Serra Azul e Rio Manso. Todos os três tiveram queda nos últimos dias. Vargem das Flores saiu de 29,8% no domingo e foi para 29,5% nesta terça-feira. Serra Azul saiu de 12,1% para 11,8%, já o Rio Manso, que é o maior reservatório do Paraopeba, começou a semana com 39,9% e já está em 39,8%.

A vazão do Rio das Velhas se manteve estável. No último sábado estava com 11,8 metros cúbicos por segundo. Na segunda-feira estava com 12,1 metros cúbicos por segundo. Por causa da economia média da população entre fevereiro e julho, que atingiu 13,4%, além de 55% mais chuvas de janeiro a julho deste ano do que o acumulado no mesmo período de 2014, a Copasa descartou o racionamento na Grande BH.

Quando anunciou o descarte, a companhia afirmou que se chover de agosto a novembro a mesma quantidade registrada em igual período do ano passado, o Sistema Paraopeba terá, em dezembro, 20% de sua capacidade. O atual volume do sistema é suficiente para o abastecimento até janeiro de 2016, mesmo se não chover nenhuma gota até lá, de acordo com a empresa. A Copasa também informa que aumentou em 400 litros por segundo a capacidade de transferência da água produzida pelo Sistema Rio das Velhas para a área atendida pelo Sistema Paraopeba, o suficiente para abastecer uma população de 746 mil habitantes.

Para dezembro está prevista a conclusão das obras de captação adicional no Rio Paraopeba, que levarão 5 mil litros de água por segundo até a Estação de Tratamento de Água do Rio Manso, possibilitando a recarga dos reservatórios do Paraopeba e garantindo o abastecimento sem a necessidade de restrições nos próximos 20 anos.

A empresa ressalta, ainda, que durante o período chuvoso, que começa em outubro e segue até março, será possível a reversão de tendência de queda de volume armazenado nos reservatórios que terão condições adequadas para recuperação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade