Publicidade

Estado de Minas

Delegado que investigava estupro descobre esquema de tráfico por acaso

Daniel Balthazar da Silveira Schindler Coutinho, de São José da Lapa, flagrou três traficantes embalando drogas quando foi visitar uma testemunha do estupro que investigava


postado em 05/02/2014 12:39 / atualizado em 05/02/2014 12:58

(foto: Euler Júnior/EM DA Press)
(foto: Euler Júnior/EM DA Press)

O delegado Daniel Balthazar da Silveira Schindler Coutinho, de São José da Lapa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, descobriu por acaso um esquema de tráfico de drogas na cidade. Ele investigava um crime de estupro e quando foi até a casa de uma testemunha encontrou traficantes embalando drogas para a venda.

(foto: Euler Júnior/EM DA Press)
(foto: Euler Júnior/EM DA Press)
O policial estava investigando o estupro de uma adolescente de 15 anos, que aconteceu no último sábado no município. Daniel Balthazar descobriu que outro menor de idade, morador do Bairro Dom Pedro I, testemunhou a violência sexual. O delegado foi até a casa desse adolescente para tentar conversar com ele e colher informações sobre o estupro.

No entanto, quando abriu a porta da casa, Daniel Balthazar teve uma surpresa ao visualizar três homens manipulando porções de maconha para venda. Wesley Augusto de Souza (conhecido como Boca), Pedro Henrique Nascimento (o Nego) e Jonathan Pacheco Rolim (o Demorô) estavam deitados na sala da residência, empacotando a droga.

Em uma reação de instinto, o delegado apontou a arma para os homens e deu voz de prisão. Na casa, foram apreendidas uma barra de quase um quilo de maconha, 26 pedras de crack, três armas, celulares e material para dolagem. Imediatamente, Jonathan assumiu ser dono da droga. Wesley e Pedro tentaram negar participação no tráfico, mas as desculpas não adiantaram porque houve o flagrante.

Daniel Balthazar apurou que Jonathan já é traficante há algum tempo. Ele vendia exclusivamente maconha, mas após a prisão de um líder do trafico no Bairro Dom Pedro I, aproveitou para expandir com o comércio de outros entorpecentes. O caso de estupro, que culminou por acaso na prisão dos três traficantes, ainda está em fase de investigações.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade