Publicidade

Estado de Minas

Hospitais investem em controle de ruídos


postado em 28/07/2013 00:12 / atualizado em 28/07/2013 07:29

O Hospital João XXIII e o Hospital Belo Horizonte informaram que têm equipes de controle de ruídos e fazem medições periódicas dentro dos padrões especificados pela legislação municipal. Segundo as instituições, essas aferições, com duração de oito horas, indicam que os níveis de ruído estão dentro dos limites e que não trazem danos à audição e à saúde.

O técnico em segurança do trabalho do João XXIII, Abel Acácio Silva, disse que a instituição faz reuniões frequentes com equipes de ambulâncias e com a polícia, e que nesses encontros são feitos pedidos para que se respeite a sinalização de desligar as sirenes. “Vamos reforçar esse pedido e pedir a colaboração para que não se repitam essas situações”, afirmou.


A assessoria de imprensa do Hospital Belo Horizonte destacou ainda ter o selo ISO 9001/2008, que atesta a qualidade dos seus serviços. Por sua vez, a assessoria de imprensa do Hospital São Lucas cobrou fiscalização das fontes de que se situam fora do edifício. Procurada, a assessoria do Hospital Socor não quis comentar o assunto.

O Centro de Especialidades/UPA Centro-Sul, no Santa Efigênia, foi a unidade de saúde no qual houve menores níveis de ruído chegando da rua, segundo medições feitas pela reportagem do EM e submetidas ao professor da UFMG Marco Antônio Vecci (veja tabela). Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o edifício foi projetado para ter a entrada voltada para uma rua de menor movimento. Além disso, tem um recuo mais acentuado na Avenida dos Andradas, recuo para ambulâncias e atendimento interno setorizado para organizar atividades e reduzir ruídos.


Publicidade