Publicidade

Estado de Minas

Preso cabo da PM acusado de matar mulher e filho

O cabo foi preso no momento em que chegava para trabalhar no 34 º Batalhão da Polícia Militar. Ele chorava quando foi detido


postado em 14/06/2012 17:53 / atualizado em 14/06/2012 19:08

O cabo da Polícia Militar, Marcos Antônio Alves de Lima, de 45 anos, acusado de matar a tiros a mulher, Rosângela Alves Ferreira, de 40, e uma filha, Raíssa Alves de Lima, de 13, foi preso na tarde desta quinta-feira em Belo Horizonte. De acordo com a Polícia Civil, o delegado Marcio Rocha, da Delegacia de Homicídios de Ribeirão das Neves, na Grande BH, pediu a prisão preventiva do militar e foi atendido pela Justiça.

O mandado foi cumprido pela Corregedoria da Polícia Militar. De acordo com o tenente-coronel Idzel Fagundes, comandante do 34º Batalhão da Polícia Militar, onde o cabo é lotado, a prisão aconteceu por volta das 14h quando Marcos Antônio chegava para trabalhar. “Ele já chegou aqui chorando e foi preso. Ele já cumpre pena em uma cela fechada em um dos quartéis de Belo Horizonte. A unidade não será divulgada por motivos de segurança”, explicou Fagundes.

Marcos Antônio chegou a se apresentar à polícia nessa terça-feira, mas foi ouvido e liberado pois o tempo de flagrante, que é de 48 horas, havia se passado e não tinha nenhum pedido de prisão contra ele. Ao ser interrogado, o militar confessou o crime mas informou que não se lembrava das circunstâncias, porque na hora das agressões teria sofrido um surto. O PM foi indiciado por duplo homicídio e lesão corporal.

O crime aconteceu no último domingo. O motivo do assassinato seria o valor da conta telefônica, mas segundo o delegado, o cabo já havia agredido a mulher e a filhas outras vezes. No dia do crime, o cabo discutiu com Rosângela, com quem vivia há 19 anos e teve quatro filhas, por causa da fatura. Irritado, o militar teria atirado na mulher e em duas filhas, que tentaram defender a mãe.

Rosângela, baleada na cabeça, e uma filha, Raíssa Alves de Lima, de 13, atingida nas costas, morreram na hora. R.A.L, de 15, com ferimento no peito está internada no Hospital Risoleta Neves, em Venda Nova. O crime aconteceu no sítio onde a família morava, no Bairro Granja Primaveras, em Ribeirão das Neves, na Grande BH. A suspeita é de que ele tenha atirado nas vítimas com um revólver calibre 38, de uso particular, registrado no nome dele.

Na terça-feira, a casa onde aconteceu os homicídios foi incendiada parcialmente. A motivação do incêndio ainda será investigada. A hipótese de ter sido criminoso ainda não está descartada. No terreno havia depósito de material reciclável, onde possivelmente o fogo começou, e 90% foi destruído.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade