Publicidade

Estado de Minas

Festa de Israel anima Bairro Mangabeiras


postado em 21/05/2012 07:11

Festa teve apresentação de música e danças típicas israelenses(foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press Brasil)
Festa teve apresentação de música e danças típicas israelenses (foto: Marcos Vieira/EM/D.A Press Brasil)

“Das comidas típicas, falafel é imperdível”, avisa Marcos Brafman, presidente da Federação Israelita de Minas Gerais (Fisemg), durante a Festa de Israel realizada ontem, na Praça Estado de Israel, no Bairro Mangabeiras, Região Sul de Belo Horizonte. A indicação era para um amigo, mas parece que grande parte do público resolveu seguir o conselho. A barraca da iguaria judaica, feita de pão árabe com bolinhos de grão de bico, pasta de gergelim e salada, era uma das mais procuradas.

Em sua 21ª edição, a tradicional festa, promovida pela Fisemg, celebrou os 64 anos de independência de Israel. Cerca de 5 mil pessoas participaram do evento, que entrou para o calendário oficial da cidade. Segundo Brafman, o objetivo é promover a confraternização da comunidade judaica com o povo mineiro e ainda apresentar aos moradores um pouco da cultura e culinária típica dos judeus. “A comunidade israelense em Belo Horizonte é de cerca de 10 mil pessoas. Eles estão presentes desde a fundação da cidade. A festa é uma demonstração da integração e convivência harmônica entre os povos”, explicou.

O governador Antonio Augusto Anastasia (PSDB) esteve na festa e ressaltou a importância das missões oficiais que fez a Israel, no esforço do estado, ao longo dos anos, para se internacionalizar. Rafael Eldad, embaixador de Israel, lembrou que o Estado judeu nasceu de um sonho e que hoje é um país forte que se destaca nas áreas de serviços públicos, tecnologia e inovação. “O segredo do sucesso é a unidade, a participação de todo o povo. Queremos celebrar os 65 anos, em 2013, em paz com os nossos vizinhos”, acrescentou.

Uma legião de pais, com câmeras em punho, disputava o espaço para registar os filhos que se apresentavam no palco. Todas as crianças eram estudantes da escola judaica Theodor Herzl. A cantora israelense Mônica Manaker e o grupo Phoenix, do Rio de Janeiro, também fizeram parte da programação cultural. A criançada podia ainda se divertir com brinquedos infláveis e pintura no rosto.

Ao longo do dia, diversas famílias e representantes da comunidade judaica passaram pela festa. Para o rabino Nissim Katri, a importância desse tipo de iniciativa é mostrar para as pessoas que o povo israelense quer se inserir na comunidade mundial, convivendo em paz e harmonia com todos os outros.


Publicidade