Publicidade

Estado de Minas

Polícia revela detalhes sobre morte de empresário em motel

A polícia informou que há 99% de chance de ter sido suicídio. O corpo do empresário foi encontrado com 28 perfurações, sendo seis mais profundas


postado em 03/02/2012 18:09 / atualizado em 03/02/2012 18:46

O empresário foi encontrado morto dentro de um motel horas depois do assassinato da procuradora(foto: Alexandre Carneiro/EM/D.A.Press)
O empresário foi encontrado morto dentro de um motel horas depois do assassinato da procuradora (foto: Alexandre Carneiro/EM/D.A.Press)
 

Os delegados Edson Moreira, chefe do Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), e o chefe da Divisão de Crimes Contra a Vida (DCCV), Wagner Pinto, revelaram detalhes sobre a morte do empresário Djalma Brugnara Veloso, 49 anos, apontado como o principal suspeito de assassinar sua mulher, a procuradora Ana Alice Moreira Melo, 35. Ele foi encontrado morto dentro de uma suíte do Motel Capri, localizado às margens da BR-356, no Bairro Olhos D’água, com várias perfurações no corpo provocados por uma faca.

Segundo a polícia, Djalma chegou ao motel em um Peugeot branco, sozinho, por volta das 4h50. Às 21h, ele foi encontrado morto dentro do quarto por funcionárias do estabelecimento, que estranharam a demora do homem em fazer pedidos desde o horário em que chegou ao local. Peritos foram à suíte e constataram que o empresário havia sofrido 28 perfurações pelo corpo, sendo que 22 foram superficiais e outras seis mais profundas.

Os maiores ferimentos estavam no peito, na altura do coração, um de cada lado do pescoço, um no pulso e outro do lado interno de cada coxa. Para a polícia, o golpe que culminou na morte do empresário foi no coração. Porém, a perícia não soube precisar em qual horário ocorreu o óbito.

 

A possibilidade de ter sido um homicídio está praticamente descartada pela polícia. Os delegados informaram que há 99% de chance de ter sido um suicídio. Caso fique comprovado que o empresário se matou e que assassinou Ana Alice, será pedida a extinção da punibilidade do autor.

Objetos pessoais

Dentro do carro do empresário a polícia encontrou diversos objetos pessoais. A policia informou que nenhuma mancha de sangue foi encontrada no veículo.

Em relação ao celular de Djalma, a polícia informou que o objeto foi encontrado na casa da mãe dele, que também mora no Residencial Villa Alpina, local onde a procuradora foi assassinada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade