Publicidade

Estado de Minas

Por amor à natureza, voluntários se unem para limpar a Serra da Moeda

Mutirão da limpeza mobilizou


postado em 04/12/2011 07:38 / atualizado em 04/12/2011 07:57

Sob a neblina da manhã, voluntários limparam a área da serra e fizeram o plantio de 50 mudas(foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)
Sob a neblina da manhã, voluntários limparam a área da serra e fizeram o plantio de 50 mudas (foto: Cristina Horta/EM/D.A Press)

 

Sob a bruma gelada que recobria as montanhas, lá estavam eles, de sangue quente e mangas arregaçadas. A manhã de sábado foi de trabalho para um grupo de moradores, empresários e, acima de tudo, defensores da Serra da Moeda, que organizaram mutirão para limpar o patrimônio da natureza no município de Brumadinho, a cerca de 30 quilômetros de Belo Horizonte. Os sacos de lixo receberam de tudo: orelhão de telefone, latas enferrugadas, vidro, pedaços de carro, pneus, garrafas, latas, guimbas de cigarro. Materiais jogados em meio a um visual exuberante, com vegetação de campos rupestres e que abriga 36 nascentes.

Na ação, foram recolhidos mais de 20 sacos de 50 litros de resíduos sólidos. Durante a expedição da limpeza, o grupo encontrou também diversos focos do mosquito da dengue, um risco para a população. Os materiais recicláveis serão encaminhados para uma associação de catadores de lixo de Brumadinho e os demais resíduos para a limpeza urbana da prefeitura. Mas a iniciativa não serviu apenas para catar lixo. O grupo também plantou cerca de 50 mudas em terreno da prefeitura e pôs à mostra o desejo de livrar a montanha de qualquer sujeira.

De acordo com a presidente organização não governamental (ONG) Abrace a Serra, Beatriz Vignolo, o 1º Limpe a Serra foi um ato simbólico para afastar da Serra da Moeda todo tipo de degradação. Entre as principais ameaças, segundo a representante, estão a mineração e a expansão imobiliária, além da instalação de indústrias."Essa iniciativa é emblemática e tem o intuito de limpar a serra de tudo que pode prejudicá-la e comprometê-la", afirma Beatriz.

A maior luta atualmente da comunidade é a de transformar uma parte da Serra da Moeda em monumento natural, garantindo a proteção total da área, principalmente, da nascente Mãe D%u2019água. %u201CA Câmara vai votar o projeto de criação do monumento natural dia 15%u201D, diz Beatriz, na expectativa pela aprovação. A Serra da Moeda conta com 40 quilômetros de extensão, abrangendo oito municípios. O biólogo Vinícius Barbosa de Assis, integrante do movimento, ressalta as riquezas naturais: %u201CAqui encontramos a canga, formação geológica das mais ameaçadas atualmente. Há orquídeas, canelas-de-ema, onça-parda, lobo-guará, peripatus.%u201D

Morador da região há mais de duas décadas, Ricardo Mello começou a trabalhar com o turismo ecológico na Serra da Moeda há dois anos. Do alto da montanha, ele conta sobre as transformações sofridas com o crescimento da população, estimada em 4 mil habitantes, e de frequentadores. %u201CA situação pirou de três anos para cá. A região cresceu muito e o lixo aumentou na mesma proporção%u201D, afirma, criticando a atuação da prefeitura de Brumadinho, que não dá atenção à área, distante da sede administrativa. No pé da serra, inclusive, já se transformou num grande bota-fora.


Publicidade