Publicidade

Estado de Minas

Escolas de BH enfrentam chuva em segundo dia de desfiles

Escolas do Grupo A de BH levam à passarela entusiasmo para enfrentar a noite de chuva, em que a água foi uma das homenageadas


postado em 08/03/2011 07:02 / atualizado em 08/03/2011 10:23

Crianças desfilam na escola Unidos Guaranis, em Belo Horizonte(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
Crianças desfilam na escola Unidos Guaranis, em Belo Horizonte (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)


Se as águas rolaram durante quase todo o carnaval em Belo Horizonte, nada mais apropriado que o tema escolhido pela Unidos Guaranis para abrir o desfile das escolas de samba do Grupo A, ontem, no Bulevar Arrudas, Centro da capital. Os 350 integrantes da escola da Pedreira Prado Lopes, na Região Noroeste, homenagearam aquela que fez questão de marcar presença, especialmente ontem, atrasando o inicio da apresentação. Com o enredo Água, o grupo cantou o elemento da vida e da energia.

 

Confira a galeria de fotos dos desfiles

 

Durante as apresentações os temas mudaram, mas a chuva continuou acompanhando o último dia de desfiles, quando as cinco escolas do Grupo A disputaram o título ou, na pior das hipóteses, a permanência entre as melhores da capital. Depois de dois dias de problemas com as arquibancadas, montadas por empresa vencedora de licitação que não teria cumprido regras do edital, ontem parte da estrutura interditada pelos bombeiros foi liberada.

Com as atenções voltadas para a passarela, a Canto da Alvorada foi a segunda escola na programação, com o enredo Humanus quem somos, de onde viemos, para onde vamos. Nascida na sede do Clube Atlético Mineiro, em 1989, numa conversa informal entre torcedores, a escola se preparou para fazer a plateia cantar: ''Samba no pé, homem primata. Samba no pé, minha mulata. Canto da Alvorada é a civilização, arrebentando com a boca do balão''.

Campeã no ano passado, a Chame-chame criou um enredo para levar a magia dos circos para a passarela do Bulevar. A escola do Bairro Salgado Filho, na Região Oeste, é umas das mais novas de BH. Foi criada em 2007 e desfilou pela primeira vez em 2008, conquistando o segundo lugar em 2009. Com 500 integrantes, nove alas e carros alegóricos, a escola convocou: Respeitável público, em BH, a Chame-chame monta o circo no Bulevar.

Forte concorrente ao título, a Acadêmicos de Venda Nova apostou na história da região que representa: A Venda Nova tricentenária: um carnaval de presentes. ''Êta, vida boa, tô na Vilarinho. Tô na batucada feita com carinho. Êh, comunidade, corre e vem para ver: meu carnaval é de presente para você'', cantaram os sambistas. Fundada em 2004, no Bairro São João Batista, a escola foi bicampeã em 2009. A Mocidade Independente Bem-te-vi foi para a passarela com a tarefa de encerrar os desfiles de 2011, com o tema Máscara, realidade, fantasia, sonhos e ilusão.

A campeã do carnaval 2011 será escolhida por uma comissão de 10 jurados, entre atores, percussionistas e estilistas, que avaliará 10 quesitos: bateria, samba-enredo, harmonia, evolução, enredo, conjunto, alegorias e adereços, fantasias, comissão de frente e mestre-sala e porta-bandeira. As notas vão de cinco a 10. A primeira colocada receberá R$ 20 mil; a segunda, R$ 10 mil; e a terceira, R$ 5 mil. Já a escola que receber a pior nota geral desfilará no Grupo B no ano que vem. A apuração ocorre na sexta-feira, na Câmara Municipal de BH.

Hoje na capital
15h - Carnaviola - Praça da Liberdade
15h - Bloco do Peixoto - Colégio Arnaldo (Praça João Pessoa, 200, Bairro Funcionários)
20h - Carnaval do Mantiqueira - Rua José Félix Martins, Bairro Mantiqueira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade